0 Jogo do Brasil - Seleção Feminina - Semifinais Maracanã

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Hoje acabou oficialmente as Olimpíadas aqui no Rio e vai deixar muita gente com saudades. Sempre fui contra a maneira como essa olimpíada foi organizada aqui no Rio, que foi com dinheiro do povo!! Muitos aposentados e funcionários do estado ficaram sem receber, além de muitas pessoas na rua :( Mas contra o esporte não, sempre apoiei, inclusive fui em Copacabana em 2009 assistir a cerimônia de escolha da cidade, que foi super legal!!

Eu e meu marido queríamos ir assistir algum esporte nesses jogos olímpicos e acabamos optando por prestigiar as meninas da seleção brasileira de futebol feminino, pena que elas perderam. Mesmo assim foram altas emoções: minha primeira vez assistindo um jogo no maracanã e teve direito até a cobrança de pênaltis... huahaha.



Jogo do Brasil - Seleção Feminina - Semifinais Maracanã
Isto foi no começo... Maracanã ainda vazio... não imaginei que fosse ficar cheio, porém, LOTOU!!

Jogo do Brasil - Seleção Feminina - Semifinais Maracanã

Maracanã lotado

Protesto no Maracanã

Depois do jogo e da tristeza que foi a eliminação, pegamos o metrô (cujas catracas estavam livres) e fomos ao Boulevard Olímpico no centro do Rio e andamos MUITO.






Enfim, foi um dia atípico, muito gostoso, não trabalhamos e demos uma de turista. Parece que o Boulevard ainda ficará aberto por mais alguns dias, então corram pra aproveitar.

Beijos, Thainá.

0 Meu filho/a quer ser Youtuber, e agora?

sábado, 20 de agosto de 2016

Ultimamente muitas crianças estão desejando ser Youtuber e algumas leitoras, mães dessas crianças, me pediram ajuda.

Primeiramente, Youtuber são pessoas que trabalham criando conteúdos em vídeo pra internet. O conteúdo é totalmente opcional, você pode criar vídeos falando sobre o que quiser, sempre tem espaço pra mais um, não se assuste com "concorrência".

Geralmente canais que falam sobre um nicho (assunto) específico tendem a conquistar mais inscritos, mas você pode criar um canal sobre variedades também. Isto é muito legal: além de exercitar a criatividade do seu filho, acrescentar a rotina dele uma atividade nova, ele pode aprender um ofício, criar disciplina, e ainda contribuir com conteúdo relevante para o Youtube. Se seu filho quer criar vídeos pra internet e ainda ganhar um dinheiro com isto, vou deixar abaixo um passo a passo de como começar.

Dicas para criar canal no Youtube

  • Criando o canal: Primeiramente você pode usar uma Conta do Google (Gmail) ou criar uma nova. É gratuito. Ao criar uma conta do Google, é normal o serviço criar um perfil pessoal pra você no G+ (que é a rede social do Google) e posteriormente, ele estar vinculado ao canal que você quer criar. No entanto, isto é opcional: você pode criar um canal no Youtube vinculando-o a seu perfil pessoal no G+ ou a uma página no G+ (mais aconselhável); Acesse o youtube com a sua conta do google logada e pronto, você estará criando seu canal;
  • Ajeite seu canal: É muito importante que, ao criar o canal do Youtube, você arrume o layout (aparência) dele colocando uma foto de perfil, uma foto de capa, organize a disposição das sessões dele, isto ajuda muito no crescimento do mesmo. Adicione canais que tenham a ver com a temática na sessão de indicações pois isto ajuda também. Organize a descrição do canal na sessão "Sobre", os links para redes sociais, quanto mais organizado melhor;
  • Envie vídeos com frequência e boa qualidade: O Youtube prioriza a divulgação de canais que tenham uma boa frequência de envios, um vídeo novo por semana é bom pra começar. Tenha zelo ao criar os vídeos, veja aqui dicas de como deixa-los com uma boa qualidade.
  • Não exponha seu filho negativamente: É importante que os pais sempre monitorem o que os filhos estão enviando e assistindo no Youtube. Confira aqui dicas pra regular isto. Não deixe seu filho expôr o endereço de vocês, o nome da escola que estuda, os locais e horários onde vocês estarão porque é perigoso.
  • Prepare seu filho para críticas: O youtube também tem seu lado ruim, que são os haters. São pessoas maldosas que entram nos vídeos dos outros apenas pra falarem mal e xingarem. É importante que seu filho saiba que isto pode acontecer. Você também pode controlar esses comentários, então não chega a ser um grande problema, mas é importante que você acompanhe os passos do seu filho no Youtube, por isso tenha sempre a senha e o login, e esteja ao lado dele na produção dos vídeos.

Essas são as dicas básicas pra se começar um canal no Youtube, é bem simples e tudo de maneira gratuita. Para começar a receber dinheiro com isto, acalme-se e faça o trabalho que o Google entrará em contato com você se achar que o canal é bom para isto. Esteja disposto a ajudar seu/sua filho/a pois é algo que demanda um certo tempo pra organização e criação. Realizar tais tarefas através de um computador é bem mais fácil que por um celular, fica a dica ;)


Espero que gostem das dicas e compartilhem com outros pais que tem filho desejando o mesmo. Beijinhos, Thainá.

0 Mãe de pet x Mãe de gente

A nova onda do Facebook é a guerrinha entre mães e mulheres que se reivindicam "mães de pet" (mães de animais de estimação).

Não preciso nem dizer que isto é ridículo né? Comparar os cuidados que uma criança demanda com os cuidados que um bichinho demanda é o cúmulo!! 

Tenho uma amiga mãe de pet que ficou chateada por desmerecerem o cuidado que ela tem com seus cãeszinhos, e pelo menos nesse ponto eu entendo porque convivi com muitas mulheres que se acham superiores pelo simples fato de terem filhos (falei sobre elas aqui).

Agora querer comparar? Sem essa!


Nenhuma mãe de pet deixa de sair por causa do pet, salvo raríssimas exceções. Nenhuma mãe de pet é culpada pelo mal comportamento do pet, dizendo que ela "passa muito a mão na cabeça" do pet. Animais geralmente agem no automático, bastando alimentá-los e pronto. Banho uma vez por semana, quando quer castigá-los deixa o bichinho sem acesso a algum local... agora criança é diferente, elas são imprevisíveis, o cuidado é além do alimentar, você precisa entender como seu filho pensa, você se culpa por coisas que não deveria, você é cobrado/a por outras pessoas que não tem moral alguma pra palpitar, enfim, ser pai e mãe não é fácil!!

Muitas vezes dizer-se mãe de pet soa arrogante, uma postura elitista, pois muitas mulheres tem seus filhos em situações não programadas e vivem, por conta disto, com muitas dificuldades, especialmente a financeira. Mãe de pet tem a opção de ser ou não, a sociedade não as cobra que procrie, nunca é e nem será a mesma coisa, mas podemos viver em harmonia.

Acredito que muitas mulheres se digam mãe de pet por brincadeira, então, não leve esta história tão a sério que ao invés de nos unir, apenas nos separa. Acredito também que muitas mulheres problematizem este assunto por insegurança, por tentarem vender a maternidade real como algo acima do bem e do mal, bastando uma simples brincadeira para abalar seu ego... 

Enfim, o melhor é levarmos esta história na esportiva e nos concentrarmos em problemas de verdade para que a maternidade, seja de pet ou de crianças de verdade, seja sempre algo bom para a mulher e pra sociedade também.

Beijinhos, Thainá.

0 Meios alternativos pra Blogs

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Tem tempos que não posto aqui no blog umas dicas pra quem quer ser blogueiro ou pra quem já é, né?

Acho muito legal a pessoa ter um blog ou canal no Youtube pra compartilhar seus conhecimentos e coisas interessantes no geral. Cada dia que passa fico mais viciada em acompanhar blogs e canais que falam sobre algum assunto específico pois acredito que a internet dá boas oportunidades pra profissionais exporem seus conhecimentos. Não é a toa que assisto mais Youtube que TV aqui em casa. Existem pessoas com potencial incrível para dividir com as pessoas mas nem sempre tem oportunidade, dinheiro, espaço pra fazer isto. A internet é democrática neste sentido.


A alguns anos atrás, quem queria se expor ou expor algum trabalho, conhecimento, recorria a criação de blogs (foi assim que criei este cantinho aqui) e vídeos não eram tão populares como hoje em dia. Até hoje há uma mentalidade que, pra expor algo ou se expor na internet é necessário ter um blog no formato mais tradicional, como este, por exemplo. Mas vejo que este formato perdeu um pouco suas forças. Canais no Youtube e Páginas no Facebook tem atraído muito mais expectadores e interação, pois as pessoas consomem mais tais redes sociais.

Tenho uma amiga que gosta muito de falar sobre politica em seu perfil pessoal do facebook e atinge muita gente assim. Ela manifestou a vontade de criar um blog e eu me pergunto: por que? Tudo bem que o blog, quando bem administrado, possui recursos que o Facebook não tem. Mas este último tem um alcance bem maior, uma interação que blogs não tem conseguido atingir. Quando posto uma receita na nossa página, por exemplo, são muitos comentários, já aqui, quase nada. Um blog no formato tradicional dá trabalho pra editar, no facebook é tudo mais simples, ideal pra quem não tem tanto tempo.

Acredito que hoje em dia, pra se lançar na internet de qualquer forma que seja, você NÃO PRECISA ter um blog necessariamente. Você pode usar seu próprio perfil pessoal no facebook habilitando a função "seguir", pode criar uma página, pode criar um canal no Youtube, uma conta no instagram... E pra decidir qual o melhor meio, avalie o tipo de conteúdo que deseja compartilhar. 

Quando é ideal criar-se um blog? Quando o conteúdo que você deseja compartilhar tiver uma necessidade maior de ser compartilhado em textos. Se você não gosta de escrever, não gosta de editar nem de fotografar, blog não é pra você. Fotografias também são importantes, se você gosta de lidar somente com elas, use o instagram ;)

Lembre-se que estes conteúdos tendem a contribuir de alguma maneira no futuro para nossa história, serão registros desta época, pois as redes sociais estão cada dia mais presentes no nosso cotidiano. Pode parecer viagem mas não é não, somos nós, cidadãos do mundo, com uma oportunidade de ter voz.

Beijos, Thainá.

0 O Feminismo e a Dona de Casa

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Já ouvi da boca de uma pessoa que preferia ficar em casa, cuidando do lar e do marido à trabalhar, maldizendo o movimento feminista por ter "tirado" isto dela.

Esta mesma pessoa tem um marido funcionário público que recebe uma boa remuneração, além da estabilidade. Ela não fica em casa porque NÃO QUER! Nunca, nenhuma feminista proibiu uma mulher de ficar em casa e voltar-se somente a isto. Quem impede muitas mulheres de não trabalhar é o capital, que exige cada vez mais condições financeiras difíceis de se alcançar pra ter um mínimo de conforto nas nossas vidas.

Não sei porque associam o movimento feminista à obrigação de exercer-se atividade remunerada. Quem está desempregada não pode ser feminista? Feminismo é um movimento social em busca de equidade, é sobre libertação, é sobre igualdade, é assim que sempre foi e, embora tentem deturpar seu sentido muitas vezes, ele continuará sendo sempre.

Pode ser feminista e dona de casa?

Algumas pessoas alegam não precisar do feminismo, achar que hoje em dia, devido a tantas conquistas, não se faz mais necessário, porém, não abrem mão do que têm graças a ele. O machismo na nossa sociedade é tão presente que faz certas mulheres acreditarem que o movimento feminista é algo negativo pra nós, como se ser livre e independente fosse algo ruim.

Se você é dona de casa, você é muito bem vinda no feminismo, suas demandas são importantes. Todas as questões referentes a criação dos seus filhos, por exemplo, importam muito pra gente. Queremos que as donas de casas e/ou mamães não se excluam da vida social e dos espaços públicos. É importante pro feminismo entender as necessidades de uma mãe que deseja, por exemplo, fazer faculdade. É importante pro feminismo, por exemplo, investir-se em meios que tornem o transporte público melhor para quem anda com filhos pequenos. Como pode então uma dona de casa não ser feminista? Todas podem ser!!! E ainda que não se identifiquem, não se denominem, nós olhamos por você.

Nos primórdios de nossa sociedade era sim proibido à mulher o direito de trabalhar, mas nunca houve uma proibição ao direito de ser dona de casa, talvez seja por isto que muitas vezes esta demanda não apareça com tanta veemência nos discursos feministas. Mesmo assim, feministas não odeiam donas de casa, muitas de nós fomos criadas por uma, conhecemos suas dificuldades e queremos de tudo para tornar o ambiente melhor para que tenhamos mais liberdade de decidir.

E você, acha possível ser dona de casa e feminista ao mesmo tempo? Deixe sua opinião ;)
© Blog Detalhes - Por Thainá Santos - Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo