sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Profissão: gostosa!

Ah um tempo eu vinha pensando nisto, mas não sabia como abordar, sem parecer deboche ou viagem de minha cabeça.
Certa vez li que uma moça brasileira trabalhava como secretária numa firma ganhava cerca de R$900,00 por mês e foi pra França concorrer no concurso de "Bumbum mais bonito do mundo", e a danada ganhou. Ganhou um prêmio de mais de R$50.000,00 se não me engano, e vai abrir sua própria grife de lingerie. Além disto, fechou contrato com uma empresa de alguma coisa, tipo cosméticos, pra "ensinar" dicas de como cuidar do bumbum, da pele, exercícios... e por aí vai. Detalhe que aqui no Brasil, o bumbum dela nem faria tanto sucesso levando-se em consideração o gosto dos homens brasileiros, que tem uma quedinha pelas mulheres-fruta da vida (mais avantajadas). Mas enfim... Se ela estivesse ainda trabalhando como secretária, será que chegaria tão longe? Será que um dia pisaria em Paris?

Eu me considero super feminista e como toda feminista sempre abominei mulheres que trabalham com imagem e corpo, porém, de uns tempos pra cá comecei a mudar de opinião. Um exemplo disto é a Sabrina Sato. Quando a via na tv eu pensava: Não acredito que ela seja burra como age, pois a mulher saiu de um reality show onde a maioria é esquecida e ganha uns R$100.000,00 por mês. Eu dizia que devia haver alguma cláusula no contrato dela e das outras panicat's que as obrigassem a agir como idiotas, na frente da tv. Pois bem, eis que um dia vendo eu vejo uma entrevista da Sabrina na GNT, uma entrevista curta, e pude perceber que eu estava certa, ela não é burra nada!
Ela mesma disse que exagera e que isto seria um tipo de "persona", não um personagem. É o jeito dela, mas mais exagerado, caricato. Eu notei que ela pode não ser nenhum Albert Einstein, mas que sabe das coisas, sabe sim!
Enquanto muitas de nós falamos mal de mulheres tipo a Melancia, a garota com apenas 21 anos já era dona de uma clínica de estética, uma academia, 2 apartamentos e 2 carros próprios. E você? O que possuía aos 21? Eu? Acho que nada...rs...
Enfim, o post é apenas uma reflexão para nós olharmos além da bunda destas mulheres, que podem trabalhar com o corpo, mas ainda sim são pessoas, muitas dela ajudam a família, tem suas responsabilidades. Se o feminismo defende o direito da mulher agir como quer, elas estão dentro do raciocínio. Beijinhos, Thainá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mensagens mal educadas não serão aceitas *