quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Por que o vídeo de Clarice Falcão é associado à Esquerda?

As vezes fico um pouco decepcionada de associarem certas pautas a nós da Esquerda e ultimamente o que tem sido visto é justamente o vídeo clipe da cantora Clarice Falcão, onde há nudez explícita. O mesmo aconteceu com aquela peça "Macaquinhos", onde havia sexo explícito.

Vídeo Clipe Clarice Falcão Esquerdistas
Ser de Esquerda é defender um modelo econômico estatal, é defender liberdades individuais (desde que não afetem a vida de outras pessoas), é saber que numa sociedade há diferença entre as pessoas então todos devem colaborar para que elas sejam minimizadas... Ser de Esquerda não é querer ver pênis e vaginas coloridxs.

Sei que a liberdade sexual e a liberdade individual tornaram-se pautas da esquerda pelo simples fato do conservadorismo aliado ao capitalismo excluí-los. Respeitamos as causas onde isto é mais evidente, queremos a promoção da tolerância e da diversidade, mas parem de dizer que clipes como o da Clarice e atitudes onde há promiscuidade sexual é coisa de esquerdista pois 99% das pessoas na esquerda criticaram esse clipe e os outros 1% não se importaram. Não vi ninguém abraçar a causa e compartilhar tal vídeo querendo revolucionar. Não vi um militante na esquerda elogiar esse clipe.

Clarice Falcão é uma mulher que vive bem financeiramente, está dentro dos padrões impostos pelo conservadorismo/ machismo, é estudada e famosa. Talvez não precise tanto de apoio da esquerda para suas demandas mas ainda sim é bem vinda como militante. Eu, como feminista, sempre irei apoiar mulheres que falam por nós mesmas. No entanto, ela está promovendo sua carreira, isso nada tem a ver com política, com ativismo e se analisarmos no cenário atual, até afasta os trabalhadores da luta da esquerda. Esse é um ponto importante que a "nova esquerda" precisa se dar conta.

A maior parte da população pobre e trabalhadora teve criação conservadora, cristã e provavelmente se chocaria com um clipe deste (eu mesma achei super desnecessário). Se operários que sofrem as mazelas do capitalismo não se sentem confortáveis nessa luta podem procurar outras referências, enfraquecendo assim a luta de classes, consequentemente adotando um estilo de vida desrespeitoso e intolerante com a comunidade LGBT, por exemplo. O fim do capitalismo é a única maneira de se obter uma sociedade igualitária, onde homens e mulheres possam exercer suas liberdades individuais sem serem mal falados e consequentemente a nudez deixe de ser um tabu.

Muitas vezes é preciso entendermos o contexto social onde o conservadorismo ocorre, por que ocorre e lembrar que nem todo mundo que pratica um ato retrógrado é fascista. A essas pessoas pode ocorrer a falta de instrução, educação e não é expondo genitálias que farão se desconstruir. Precisamos nos organizar didaticamente pra atrair a militância mais necessária, que é a do pobre trabalhador. O fim dos tabus sexuais e do desrespeito para com a diversidade será apenas a consequência 😉

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Como vender doces e salgados (na rua)? Vida de Doceira #10

Aqui no blog e no Canal do Youtube Blog Detalhes eu gosto de dividir dicas de receitas e também experiências na venda de doces e salgados. Uma das coisas que meus inscritos mais comentam é sobre a insegurança de se sair pra vender doces e salgados nas ruas, oferecer às pessoas e a revendedores.

Muitos sentem vergonha de oferecer com medo de serem chatos mas também há a questão do orgulho. Devemos sempre superar esses problemas pois vender doces é algo digno e respeitável. Confira no vídeo abaixo dicas pra superar essa encanação!!


Espero que tenham gostado do vídeo e da mensagem nele contida. Organize-se para começar vender doces em 2017 e tenha um ano repleto de prosperidade 💖💗


Se você gostou do vídeo, inscreva-se no nosso canal!!

domingo, 18 de dezembro de 2016

Estudo das Relações Étnico Raciais no Brasil - parte 4

Continuando os textos sobre "Estudo das Relações Étnico Raciais no Brasil", quero compartilhar com vocês uma visão totalmente diferente do que já vimos por aqui, eu diria até com um caráter reacionário, mas que também é abordada na faculdade de História, sobre africanidade, negritude, período escravocrata, etc.

Confira aqui as postagens anteriores:



Tive em mãos durante minhas aulas de Estudo das Relações Étnico Raciais no Brasil um texto do autor Mia Couto, escritor moçambicano, cujo objetivo é demonstrar que os problemas enfrentados na África subsaariana não são de exclusividade da colonização européia.

Sabemos que europeus e estadunidenses tentam dominar meio mundo, invadem países impondo sua cultura, seus modos de viver e roubando suas riquezas mas não podemos culpá-los 100% como responsáveis pelos problemas no planeta, até porque isto não ocorreria sem a conivência de nativos destes locais "colonizados".

Mia Couto cita em seu texto "Os sete sapatos sujos" sete atitudes que contribuem para que o estado de pobreza extrema se perpetue tanto tempo em certos locais na África. A questão não trata-se de responsabilizar o negro africano por seus problemas no geral mas entender como uma auto crítica. As mesmas coisas citadas por Mia podem facilmente ser aplicadas no Brasil, se pararmos pra analisar:

O que é entendido como problema para o desenvolvimento africano:

  • A ideia de que o culpado são sempre os outros e nós somos as vítimas: Mia Couto acredita que o domínio europeu na África causou seus enormes prejuízos mas também criou uma mentalidade de não responsabilidade por parte de alguns nativos africanos;
  • A ideia de que o sucesso não nasce do trabalho: Muitos nativos africanos se acomodam em suas situações sociais por acreditar que quem avançou em escalas sócio-econômicas teve "sorte", é espiritalmente abençoado, coisas do tipo;
  • A ideia de que as críticas são sempre negativas: Acreditar que o quem orienta de forma correta e dura está fazendo-o apenas por inimizade;
  • A ideia de que mudar as palavras muda a realidade: Mia Couto entende que se importar com certas expressões usadas no dia a dia impede o progresso pois o que importa de fato seriam as "atitudes" das pessoas;
  • A vergonha de ser pobre e o culto das aparências: O nativo africano muitas vezes se sabota ao tentar ser o que não é, adotando um estilo de vida não condizente com suas condições financeiras. É um incentivo a um mundo de aparências. Aqui no Brasil chamamos de "ostentação";
  • A passividade perante as injustiças: Mia acredita que muitos nativos africanos são inertes em casos de violência, principalmente a contra às mulheres e crianças. Ainda existem comunidades africanas que mantém rituais violentos como a Excisão (mutilação genital feminina) e o "achatamento dos seios femininos" nas garotas mais jovens;
  • A ideia de que para sermos modernos devemos imitar os outros: Mia é específico em seu texto ao definir "os outros" como os colonizadores da maior parte da África;


Quis deixar este texto bem resumido de acordo com o que foi dado em sala de aula, não digo que concordo com tudo que é mencionado mas alguns pontos achei importante. Nos próximos textos posso adentrar em cada tópico mencionado dando meu ponto de vista e de outros autores mas na postagem de hoje ficaremos somente com o lecionado na faculdade.

Um abraço, Thainá Santos.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Por que há mulheres contra o Feminismo?

A tempos atrás conversando com uma amiga ela vira e diz que "odeia feministas". Pouco tempo depois conheci uma página no Facebook cujo título é: "Moça, não sou obrigada a ser feminista". Eu me perguntava: _Onde estas mulheres estão com a cabeça? Como elas podem ser contra nós mesmas? Porque Feminismo pra mim sempre foi um movimento político-social em busca de igualdade entre gêneros. Daí que comecei a perceber que pra muitos não é.

De 2013 pra cá fala-se MUITO sobre Feminismo nas redes sociais mas eu sempre ouvi falar, desde criança. Quando mais jovem assistia muito a novela "O Cravo e a Rosa" onde a Catarina, personagem principal, era feminista. Também assistia a série "Married with Children" (Um amor de família) em que a vizinha amiga da família protagonista também é feminista. Sempre conheci os estereótipos negativos (mulheres que odeiam os homens, não se depilam, não gostam de sexo) mas consciente de que eram apenas besteiras, que o real feminismo não é isto.

Daí quando comecei a ver páginas anti feminismo, mulheres postando contra o feminismo, eu pensava: Como assim gente? Feminismo não é isto!! A primeira reação é de ataque, a gente quer colocar na cabeça das pessoas a verdade, quer fazê-las enxergar que estão erradas e o risco de cometer um erro é grande. Nos tornamos pessoas agressivas e em nenhum momento paramos pra pensar porque muitos pensam diferente da gente.

A verdade que a militância feminista mudou. Antes, um movimento burguês meramente limitado a questões de gênero e direitos civis. Hoje em dia o Feminismo está diretamente ligado a esquerda, aos movimentos sociais, a luta LGBT, ao movimento negro, etc. Claro que isto é ótimo mas também há pessoas exaltadas que não sabem ser didáticas, impacientes e que acham que todos vivem no ambiente de militância. Estas pessoas são a resposta do porquê muitos pensarem diferente da gente.

A verdade que em relação ao número de brasileiros, os militantes ativos da esquerda ainda são muito poucos. Nem todos tem acesso a universidades, ambientes acadêmicos e virtuais, páginas de feminismo e esquerda, bibliotecas, livros, etc. Nós devemos ser pacientes pra ensinar essas pessoas mas acima de tudo entender quem prefere se dizer "não-feminista".

Mulheres que odeiam o feminismo

Claro que fico triste das pessoas terem uma impressão ruim do feminismo, chegarem a informações distorcidas, mas ultimamente a pratica do feminismo na vida tem sido mais relevante que as palavras, pelo menos pra mim. A participante vencedora do Masterchef disse que não se sente ícone feminista e não se considera feminista, mas surpreendeu a todos vencendo numa competição onde o machismo impera, trabalha num ambiente onde mulheres são minoria (entre chefs de cozinha), mostrou seu talento e calou a boca de muita gente. Então Dayse, você não precisa se dizer feminista, não precisa se dizer nada, você praticou o feminismo sem saber, sem querer e pra mim isto que importa. Parabéns pela sua vitória 💛💓

Estudo das Relações Étnico Raciais no Brasil - parte 3 - Um pouco da cultura Africana

Nos textos anteriores dividi os com vocês alguns conceitos estudados na disciplina "Estudo das Relações Étnico Raciais no Brasil". Hoje, continuando o estudo, vamos conhecer através do professor Kabengele Munanga alguns pontos importantes quando falamos de cultura africana.

Kabengele Munanga é professor especialista em antropologia da população afro-brasileira, mora no Brasil mas nasceu em no Congo, onde iniciou seus estudos e graduou-se em Ciências Sociais.
Resumo sobre Cultura Africana
Professor Munanga: Mito!!

É interessante notar o quanto a cultura africana é semelhante a brasileira. Não podemos cair no erro de achar que há unanimidade comportamental em todos os países mas existem pontos em comum que formam a verdadeira identidade africana. A África subsaariana é a que mais apresenta tais características e é delas que falaremos abaixo.

Um aspecto cultural muito marcante na África subsaariana é como seus nativos encaram a morte. Para eles a perder a vida não é um fim com caráter separativo pois entende-se que há união entre os vivos e os mortos, através do legado deixado pela ancestralidade. Em outras palavras, os vivos são "unidos" aos mortos, por transmissão de forças inter parentais.

Maturidade: Para uma pessoa ser considerada adulta entendemos que deve sair da casa dos pais e ser capaz de sustentar-se sem ajuda de ninguém. Também associamos isto ao casamento. Já na África a vida adulta é caracterizada pela capacidade de suportar dores. Rituais de sacrifício servem para demonstrar o quanto madura e evoluída uma pessoa está.

Governo: Nos povos africanos é comum entender-se que o soberano é o povo, que este é o ser mais importante para representá-los, tanto que quando um governante caiu doente, por exemplo, deve ser afastado para que seu povo não "torne-se doente também". Muitas vezes são induzidos ao suicídio. Os chefes de estados são mantidos no poder por ancestralidade e socialização.

Unanimidade: A África possui um aspecto que eu, Thainá, considero de um caráter pacífico que é a unanimidade. Os mais maduros de um vilarejo ou localidade tendem a tomar decisões somente quando há um consenso sobre os mais diversos assuntos, evitando assim conflitos e possíveis guerras.

Família: É comum os africanos manterem proximidade com suas mães até a vida adulta e casarem-se por conveniência (casamento arranjado). Muitas vezes a ficção nos mostrou o casamento arranjado como algo negativo e repudiante mas devemos entender que o "amor romântico" e o "casamento por amor" são coisas relativamente modernas: a maioria das sociedades viviam assim no passado e não chegou-se a criar problemas sociais graves por conta disto. Na África o casamento também revela um status de acordo com quem você é arranjado, a qual família pertence e pertencerá (isso não é muito diferente daqui, né?). Há um laço forte de ternura entre os netos e os avós, uma certa cumplicidade porque avós = 💗 e também vemos muito disso em outras culturas. Na sociedade africana não há papel social para o solteiro e é incentivado o casamento e reprodução de pessoas com graus de parentesco muito distantes ou zero (exogamia).


quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Estudo das Relações Étnico Raciais no Brasil - parte 2

No primeiro texto acerca do Estudo das Relações Étnico Raciais no Brasil compartilhei por aqui alguns aspectos da vinda dos negros africanos para o Brasil que foram escravizados pela colônia portuguesa.

Vimos que os negros africanos foram escravizados, afastados de seus conhecidos e familiares que também vieram juntos, tiveram sua cultura demonizada para perder sua identidade como unidade e apesar disto, ainda sim, tornaram-se parte da cultura brasileira escrevendo sua história.

Hoje em dia já possuímos políticas públicas de reparação destes danos e tentamos pagar esta dívida histórica mas nem sempre isto tem se mostrado suficiente. Esta frágil democracia é muito mais teórica que prática. Nossa Constituição Federal já indica punição para casos de racismo, mas pouco acontece na prática e quase nada impede novas situações.

Sociólogos já constaram que quando alguém comete um crime, esta pessoa tende a "clarear" sua pele diante da justiça para obter uma pena menor. Não é difícil notar que os brancos ainda vivem em situação melhor que os negros: chegam a maiores níveis educacionais, são maioria dentre os mais bem remunerados, réus negros tendem a sofrer maior perseguição da polícia, dentre outras coisas que não é uma suposta doutrinação que indica, são fatos que podemos observar facilmente no nosso dia a dia.

O conceito de Negritude é aliado a uma ideia de movimento social que pretendeu romper com o padrão europeu imposto por nossos "colonizadores". O Movimento Negro sempre pretendeu a busca da valorização da cultura negra e respeito por ser quem é. Muitas vezes entrou em contradição com seus aliados, mas uma coisa é certa: É unânime o não querer voltar a um estado de alienação (escravidão).

Outro consenso dentro dos Estudos das Relações Étnico Raciais no Brasil é o silenciamento do Índio e do Negro na época da colonização. A escravidão poderia ter ocorrido com outros grupos étnicos e até nos dias de hoje ainda ocorre (de outras maneiras, com outras pessoas), mas daí negar sua existência é muita má fé. Existem grupos reacionários agindo online que tentam deslegitimar o Movimento Negro como se este fosse inútil, mas isto é um bom exemplo do que o racismo e a escravidão deixou como legado. O racismo e a escravidão do negro africano deixou uma cicatriz tão profunda em nossa cultura que muitos negros não se identificam com o movimento negro, acreditam que denúncias de racismo é "frescura" e que qualquer ofensa é vitimização por parte de seus semelhantes, logo, nem todos vivem esse conceito de Negritude.

Pode-se entender como início dessa tomada de consciência por parte dos escravizados a ação de Zumbi no Quilombo dos Palmares. Este incentivou os escravizados a fugirem de seus senhores para assim tornarem-se donos de si mesmo. Este comportamento de fato foi revolucionário e por conta disto a data de 20 de novembro (morte de Zumbi) foi escolhida para celebrar o Dia da Consciência Negra. Poderia ter, por exemplo, sido escolhido a data de 13 de maio (Lei Áurea/ Dia da Abolição da Escravidão) mas isto pouco significou na época, eis que a abolição não criou medidas de inserção do negro no mercado de trabalho formal, escolas, universidades, por exemplo.


O próximo texto vai falar sobre costumes e cultura africana, não percam!! Siga o Blog pra acompanhar de perto das atualizações. Um abraço, Thainá Santos.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Como identificar "amizades" tóxicas?

Outro dia li uma postagem muito boa no Blog da Mariana Rodrigues, Aquela Mari, sobre "amizades" abusivas. É comum lermos (principalmente em páginas feministas) sobre relacionamentos abusivos, homens agressores para com suas esposas, mas pouco se fala de amizades abusivas.

Acredito que quase todo mundo já passou pela situação de conviver com alguém que achava ser um amigo mas não era. São pessoas que fingem gostar de você, fingem te apoiar, mas na primeira oportunidade te faz pensar não ser uma pessoa boa pra ser amada, te fazem duvidar de si mesma, adoram jogar um balde de água fria nos teus planos.

Amizades Abusivas
Amizade abusiva é assim: Você está perto da pessoa mas se sente só :(

Uso até aspas na palavra "amigo" pois amigo de verdade não é assim. Logo então me pergunto: Qual o propósito destas pessoas? Se elas não gostam da gente, por que se mantém tão próximas? Isto não é um "não gostar", é um querer ser igual, ou seja, invejar. Como ela vai te imitar no dia a dia se não manter-se por perto?

Existe outro ponto importante sobre este assunto é a nossa dependência para com esta pessoa. Nós sabemos que elas nos fazem mas mesmo assim ainda permitimos sua presença nas nossas vidas e muitas vezes não sabemos porquê. Isto ocorre pelo mesmo motivo que se mantém um casamento fracassado: comodidade. É mais fácil pra gente empurrar este problema com a barriga e fingir que não existe do que realmente esclarece-la, afinal, mais fácil ainda do que no casamento, na "amizade" não precisamos vivenciar todos os dias.

Então, o que costuma fazer um "amigo" abusivo:

  • Só te procura pra pedir favores, dinheiro emprestado, coisas para os filhos dele, pedir roupas, bolsas, tudo emprestado. As vezes recusa se você pede também, e quase sempre não se dá ao trabalho de retornar a sua casa pra devolver: você que é o responsável por buscar;
  • Te compara com outros amigos, com outras pessoas, com seus conhecidos em comum;
  • Intrometesse na educação que você dá a seus filhos sendo que muitas vezes a que elx pratica não é exemplar;
  • Ressalta seus "defeitos" físicos, dizendo que você está gordinha, muito magra, sem bunda, com os seios caídos e no final ainda diz "Ah mas você é lindaaa"... Somente pra amenizar;
  • Zomba de seus planos somente pra te fazer se sentir mal, ressaltando o que pode dar errado ao invés de simplesmente apoiar e/ ou oferecer soluções nos momentos difíceis;
  • Se faz de muito amigx do seu cônjuge, fingindo conter soluções para seus problemas amorosos como se elx fosse um amante fervorosx e apaixonadx;
  • Fala mal da aparência de seus filhos criando piadinhas e no final ainda complementa: "Ah, mas eles tem uma beleza 'exótica';
  • Dá palpites sobre a aparência de sua casa sugerindo obras, reparos e decorações, como se você fosse uma pessoa relaxada e de mau gosto;
  • Ressalta uma suposta "irresponsabilidade" sua como se você fosse alguém preguiçosx, desleixado e/ou pouco estudado: "_Ahhh, você ainda está desempregado???" Ainda te cobra ações como se fosse responsável pelo seu sustento: "_Mas você tem enviado currículo??"
  • Essa pessoa chega na sua casa abrindo a geladeira, mexendo nas panelas, não avisa quando aparecerá, e ainda leva visitas pra atrapalhar mais ainda;
  • Essa pessoa chega numa festa sua e leva um bando de pessoas que você nunca viu na vida;

Amizades abusivas

Enfim, estes são somente exemplos do que uma amizade abusiva é capaz. Com certeza você já passou pela situação de viver alguma coisa citada acima, porém, um caso isolado não é o suficiente pra definir uma amizade abusiva, a sucessão de acontecimentos e a reincidência sim. Tome cuidado!!

Se você gostou deste texto, curta nossa página no Facebook e acompanhe 💗⇩

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Estudo das Relações Étnico Raciais no Brasil - parte 1

Nesta postagem quero dividir com você que chegou agora alguns conceitos e aspectos dos Estudos das Relações Étnico Raciais no Brasil. Esta disciplina cursei no primeiro período da faculdade de História e, embora aborde um contexto quase que 100% histórico, também é lecionada nas faculdades de Pedagogia, Letras, Serviço Social, etc.

Mesmo sabendo que no Brasil há uma grande miscigenação graças a imigrantes de outros países, o foco desta matéria é encima da cultura afro-brasileira, eis que os negros africanos foram o grupo social mais negligenciado em nossa historiografia. Como a História do Brasil foi escrita utilizando a colonização européia como parâmetro e o negro africano foi escravizado durante muito tempo, nada mais justo que o Estudo das Relações Étnico Raciais no Brasil focar-se na valorização desta cultura.

O Brasil foi o último país latino-americano que aboliu a escravidão: o cativeiro durou por mais de três séculos deixando marcas sociais muito fortes, podemos percebê-las até hoje. Isto inibiu discussões sociais por muito tempo além de ter criado "hierarquia" nos nossos modos de viver. A violência tornou-se intensa e o trabalho manual era quase que 100% exclusivamente destinado ao negro.

Resumo sobre Escravidão negra no Brasil
Negros africanos escravizados ao chegar no Brasil
Quando chegava ao Brasil, o negro africano era escravizado e perdia parte de sua cultura. Embora isto não pareça grave pode-se observar o quanto influenciou para a manutenção de privilégios do povo branco. A cultura de um povo é tão importante mas tão importante que quando este é dominado, umas das primeiras coisas que ocorrem é a destruição de seus símbolos e monumentos. Isto o faz enfraquecer como unidade tornando-se mais vulneráveis. Desse modo, "demonizar" e escarnecer tudo que era relativo a cultura africana era um dos principais objetivos de nossos colonizadores. Ao negro africano era negado o conhecimento sobre seus antepassados, sua cultura, seus deuses, etc. O afastamento de seus conhecidos ao chegar em nossas terras contribuiu muito pra isso também.

As vezes ocorriam atos de rebeldia como suicídios coletivos, rebeliões, fugas, etc. O banzo era o sentimento de tristeza e depressão que assolava a maioria dos negros escravizados, com saudades de sua vida na África, levando-os a loucura, estresse, vontade de morrer. De certa forma isto contribuiu para a imagem de uma sociedade paternal pois os senhores tratavam os escravizados de maneira proprietária.

Pela ausência de leis específicas segregadoras, como o Aphartheid na África do Sul por exemplo, o Brasil vive até hoje um racismo velado. As pessoas escondem o preconceito atrás de "brincadeiras" e se ofendem quando o negro não as aceita. O silêncio sobre o racismo não quer dizer que ele não exista.

A escravidão do negro africano também contribuiu para o crescimento do Capitalismo pois este fortalece-se através da dicotomia social. Aos escravizados era negado o direito e relativizavam muito leis que pudessem beneficia-los de alguma maneira, sendo assim, a marginalização desse povo institui-se de um jeito muito forte em nossas terras.

O final da escravidão era paralelo ao fim da Monarquia. Mesmo assim houve resistência de senhores brancos que não queriam perder seus privilégios, desse modo surgiram "intelectuais" dispostos a provar por meio de estudos que o negro era inferior ao branco. Conhecemos também isto como "Racismo Científico". Posteriormente estas teorias foram todas refutadas mostrando seu descabimento, mas ainda hoje existem pessoas que acreditam nestas besteiras.

Disto também resultou a política de "embranquecimento populacional", quando a coroa portuguesa incentivou imigrantes de outros países a se alojarem no Brasil, desde que fossem brancos. Casamentos inter-raciais eram permitidos e também incentivados, desde que objetivassem um embranquecimento da população.

O fim da escravidão no Brasil nunca pode ser visto com um olhar revolucionário eis que não foram criadas medidas pra inserir o negro no mercado de trabalho formal nem políticas de empoderamento (esta estão sendo criadas agora, olha quanto tempo depois). Assim se deu os primeiros momentos do negro africano no Brasil, infelizmente, carregados de abusos, dor e sofrimento.



Espero que tenham gostado deste primeiro texto, vou fazer mais continuações e posto aqui sempre atualizando. Nesse primeiro momento é importante abordar como se deu a escravidão para depois adentrarmos em mais detalhes. Também quero deixar registrado que o estudo da cultura africana (não a afro-brasileira) também será compartilhado pois nunca é tarde pra recuperarmos a auto estima desse povo que praticamente construiu nosso país.

Beijos, Thainá.

Recebidos: Supra Alimentos

A empresa Supra Alimentos nos enviou pra resenhar aqui no Blog alguns produtos que eu curto demais!! Sei que temperos industrializados não são 100% saudáveis mas usando com moderação não há mal algum.

Mostrei nesse vídeo abaixo os que enviaram e ainda comentei sobre os que já conheço, pois são muito amor 💗💖



Conheça as redes sociais da Supra Alimentos:

www.supraalimentos.com.br
www.facebook.com/supraalimentos


Se você gostou do vídeo, inscreva-se no nosso canal pra nos ajudar com seu incentivo 😊

Aborto é igual Homicídio?

Quero deixar registrado aqui um fato que muitos (principalmente os homens) não entendem. Não falo em nome de todas as mulheres do mundo mas de uma boa parte sim. E também em nome de mulheres que não se dão conta disto até alguém lembra-las. 

Aborto é igual Homicídio?Quando uma mulher engravida aquele ser só passa a existir como pessoa depois que ele é quisto e quando é aceito. Antes disso, é só algo a ser resolvido. Toda mulher que já passou pela situação de achar que estava grávida só se apegou ao filho (ou possível filho) após aceitar tal condição. Até mesmo os homens quando são noticiados de uma gravidez não pensam naquele "ser" como pessoa, isso só ocorre posteriormente, dependendo do decidido. Comparar uma célula em desenvolvimento com uma pessoa de carne e osso, cuja morte implica diversos problemas sociais, é muita fantasia.

Se esta mulher decide não levar uma gravidez adiante essa decisão não afeta a vida de quem está lendo em nada, mas se você força-a a ter, vai afetar a vida dela e muito! Se uma gravidez é interrompida no início da gestação estará apenas evitando uma gravidez problemática, uma infância traumática e uma vida adulta frustrante. Não adianta, não há o que me convença de que uma mulher ser obrigada a parir seja bom pra ela e pro feto. A interrupção logo no início da gravidez é algo que não afeta socialmente ninguém e espiritualmente deve ser resolvida somente entre os membros de determinada religião.

Sempre fui a favor do aborto! Sempre! Quando eu era mais nova eu achava um absurdo uma mulher ter um filho sem condições financeiras e psicológicas pra criar. Sempre pensava naquele serzinho indefeso vindo ao mundo pagando pelos erros dos pais, logo, era melhor que não nascesse. E não entendam isto como crítica a pessoas pobres que decidem ter filhos, estou me referindo a pessoas sem condições financeiras e sem vontade de criar. Isto porque há muitos pais e mães que são pobres mas se esforçam pra dar tudo do bom e do melhor para os filhos.

É injusto botar no mundo alguém que não tem autonomia pra agir, somente por capricho, pra agradar a sociedade hipócrita... Acontece que muitos veem o aborto como homicídio, e não é! Se fosse, não haveria diferenciação nos tipos penais. Quando alguém morre, morre um pouco de sua sociedade: seus familiares caem em tristeza, seus vizinhos em preocupação, seus amigos em infelicidade... quando um feto deixa de se desenvolver é algo que afeta somente quem o carrega e no máximo umas pessoas próximas. Não há que se comparar!!

Claro que ao pautar sobre isto sempre tem um infelizes que dizem: "Ah, mas devia ter se prevenido, devia usar camisinha". Acontece que dos que falam isto não têm a mínima noção do que é a vida a dois. Homens em sua maioria são resistente ao uso de contraceptivos e mulheres tem que arcar com esse ônus quase que 100%. Além disto, métodos contraceptivos sempre têm chances de falhar. 

Outra coisa a salientar é que os projetos de lei que visam a regulamentação do aborto no Brasil visam, primeiramente, o planejamento familiar com educação sexual nos colégios e acompanhamento de famílias, orientação a noivos e namorados, distribuição de métodos contraceptivos, então, como imaginar que alguém "goste" de abortar? Isso não existe e aborto não é e nunca será igual a um homicídio. Tenho algumas ressalvas aos casos onde o feto já está muito bem desenvolvido, tipo, a partir dos 6 meses, mas isso é algo pessoal e não posso impôr meus princípios a outras pessoas. Aceitem isso também.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Anacronismo, Homofobia e Fidel Castro

Anacronismo é o ato de atribuir a um determinado período histórico um caráter errôneo, cobrar de indivíduos certos comportamentos não condizentes com a realidade vivida naquele momento.

Durante muito tempo vi pessoas dizendo que criminalizar a homofobia é "privilégio" pro gay, casamento civil igualitário é "privilégio" pro gay, ensinar sobre gênero nas escolas é "doutrinação gayzista" e que "Deus abomina o pecado mas ama o pecador".

Daí Fidel Castro morre e começa uma linda preocupação dessa gente com o quanto ele era homofóbico... que hipocrisia...

Fidel era um homem homofóbico sim, assim como todos naquela época, assim como a maioria dos idosos é hoje em dia. Essa era a cultura da época, até a própria medicina considerava o gay um doente (hoje em dia estudos mostram que não são). Só pra constar, no ano 2010 Fidel Castro admitiu o erro e pediu desculpa a comunidade LGBT (e você aí curtindo "Orgulho Hétero")...

Então xingar a esquerda com o argumento de que Fidel Castro era homofóbico é de uma má fé sem tamanho, pois além dele ter se retratado, estas pessoas não estão preocupadas verdadeiramente com a Homofobia. Vivem reproduzindo jargões carregados de preconceito e dizem que é apenas "a opinião delas". Será?

Fiz um compilado das frases mais homofóbicas que costumamos ouvir por aí pra ajudar essas pessoas reconhecerem seus erros. Se você já reproduziu uma delas não quer dizer que você seja homofóbico por completo, mas ainda não parou pra pensar na mensagem dessas frases prontas.

E a faculdade? Fim do primeiro semestre

Se você está chegando aqui agora, deixa eu explicar. Sou formada na faculdade de Direito ⚖ que ingressei aos 18 anos. Na época foi apenas para satisfazer uma preocupação dos meus pais pois eu não sabia de fato o que cursar. Em meados do curso notei que não gostava muito e fui empurrando com a barriga até me formar. Não foi uma graduação excelente mas deu pra aprender bastante coisas. 

Desde então eu tentava me encontrar em várias coisas, até pro exterior eu fui (veja os posts sobre a Vida de Au pair), até chegar ao ponto de me matricular na Faculdade de História, que estou cursando no momento.

É muito difícil iniciar uma graduação após estar casada e/ou com filhos. Quando a gente não tem opção de "não trabalhar" é muito ruim conciliar estudos e emprego. Atualmente vendo doces e salgados (como muitos do Youtube sabem) e isso me ajuda pois eu consigo adaptar meus horários à faculdade.

Fiz uma postagem assim que entrei na faculdade dizendo que, não importa se é filhos, maridos, problemas de saúde e/ ou trabalho. O que mais atrapalha a gente iniciar um curso ou graduação são nossos pensamentos. Quanto mais a gente pensa mais a gente adia, sou super a favor de se jogar mesmo tendo medo. Sei que existem fatores que dificultam isto mas muitas vezes a vida nos mostras um caminho quando já estamos trilhando.

Hoje fiz minha última prova e posso dizer que tive um semestre excelente 😃 Mesmo tendo mais dificuldades que na época que morei com meus pais, hoje faço algo que gosto e tem uma super diferença nesse ponto. Consegui acordar cedo sem muitos dramas, frequentar todas as aulas e ter a matéria em dia, prestar atenção quase que 100% nas aulas e assim obtive êxito. O fato de ser uma segunda graduação também ajudou muito pois já me conheço e sei as melhores maneiras de estudar.

Então, se você quer iniciar uma graduação depois de "velha" (isso é modo de dizer) não pense muito. Também procure se informar como é o dia a dia da profissão escolhida e sobre as disciplinas cursadas pra ver se pelo menos rola uma identificação. Também veja vídeos e leia sobre métodos de estudos e concentração (eu, por exemplo, faço resumos) e matricule-se. Comece 2017 realizando esse sonho 💗💘

sábado, 26 de novembro de 2016

5 mitos sobre Fidel Castro e Cuba

Hoje é um dia triste para os ideais socialistas, nosso eterno comandante Fidel Castro se foi e deixou seu nome na história e na cultura Cubana. Mas além da dor da perda, ainda temos que lidar com a ignorância de grupos reacionários que deturpam seus ideais.

Ainda que você tenha preferência por um sistema econômico diferente do Cubano, tenha ao menos a decência de respeitar o nome de Castro, que revolucionou ao não prostituir seu país ao interesses Estadunidenses (já não podemos dizer o mesmo do Brasil).

Mentiras e Verdades sobre Fidel Castro e a Revolução Cubana

Abaixo, alguns mitos e verdades sobre Fidel Castro e Cuba:

  • Fidel Castro era homofóbico? Eu sou totalmente contra a homofobia e sei que ela não se limita à violência direta mas também está contida em discursos travestidos de opinião. Não aceito de jeito nenhum, mas entendo que no passado a cultura era homofóbica e sendo assim, relevo casos onde a homofobia é perpetrada por um idoso. Fidel Castro pode ter se posicionado homofobicamente no passado mas já se declarou na década de noventa pedindo desculpas aos homossexuais. O curioso que a maioria das pessoas que dizem que Fidel era homofóbico são homofóbicas: não estão nem aí pra comunidade LGBT, só querem difamar Fidel. Hipocrisia define!! A sobrinha de Fidel Castro, Mariela Castro, é, atualmente, militante na causa gay;
  • Fidel Castro era ditador? Fidel concentrou os poderes nas mãos dos trabalhadores impedindo privatizações e intervenções norte-americanas na economia. O conceito de ditadura e democracia são muito frágeis diante do que vivemos então é bom estudar um pouco e principalmente observar a vida prática antes de soltar esse tipo de acusação. Aqui no Brasil por exemplo achamos que vivemos numa democracia, mas atualmente passaram por cima de nossos votos colocando um presidente golpista no poder, então, é bom refletir. Uma bom meio de pensar nisto é observar o que temos em relação a "liberdade de expressão". Você acha possível noticiar qualquer tipo de coisa aqui no Brasil? Você não acha que deve haver um filtro que impeça propagação de notícias falsas e discursos de ódio? 
  • Cubanos fogem para os EUA? Estar insatisfeito com seu país não é exclusividade cubana. Quantos brasileiros você conhece que sonham em emigrar? E o Brasil é um país capitalista.!! Cuba não é um país perfeito mas dedica-se a investir no que realmente importa: Educação e Saúde;
  • Há racionamento de comida em Cuba? NÃO!! Em Cuba as pessoas têm acesso a alimentação gratuita e esta sim é racionada, porém, caso queiram adquirir um pouco mais, paga-se por isso. O que há de anormal nisto? Nada!
  • Cuba é um país perfeito? Não. Não existem países perfeitos. Até as nações mais desenvolvidas como as do norte europeu possuem problemas (se não em seu país, nos países que exploraram). No entanto Cuba é um local com acesso gratuito a educação e saúde. É considerada a nação com mais pessoas estudiosas e cultas, menor desigualdade de gênero e modelos educacionais mais desenvolvidos. A taxa de analfabetismo é zero, assim como a de crianças moradoras de rua. Cuba é considerado o melhor país da América Latina para mulheres e crianças viverem, e a comida distribuída gratuitamente é de acordo com as demandas de cada família (onde moram pessoas doentes é distribuído de acordo com dieta adequada). Todos que vão a Cuba conseguem perceber que há tratamento igualitário entre todos os profissionais, sendo o gari tratado com o mesmo respeito que o advogado;

Existem somente dois tipos de pessoa no Brasil atualmente, as que estudam História e as que consomem a mídia. É lógico que o imperialismo norte-americano faz de tudo pra distorcer o que sabemos sobre a vida em Cuba mas Fidel Castro já fez seu nome na história, e como ele mesmo disse, condenaram-o, mas a História o absolverá ✊ #HastaSiempreComandante


Thainá Santos

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Temer/ Geddel/ Calero: Entenda o caso

Hoje de manhã fui surpreendida por uma notícia quente a respeito de nosso presidente golpista Michel Temer

Seu Ministro Geddel Vieira Lima "pediu demissão" nesta sexta-feira após tornar-se público o fato de que Marcelo Calero, ex-ministro da Cultura, foi coagido a autorizar uma obra de um prédio de 30 andares numa região historicamente protegida em Salvador. Michel Temer e Geddel foram os responsáveis por tal intimidação. Isto configura crime de tráfico de influência.

O Tráfico de Influência é qualquer crime contra a administração pública em que, quem comete, obtém vantagem para si, através de coação ou ajuda de funcionário público, por exemplo.

Lembre-se que nosso ex-presidente Lula responde por este crime em favor da Odebrecht, quando liberou verba pra empreiteira, na surdina, através do BNDES. Sim, tecemos críticas a Lula quando necessário pois somos a favor da justiça.

Nós da esquerda nem sempre apoiamos Lula. Muitos são críticos ao governo PT acusando-o de se afastar dos reais pilares da esquerda, muitos optaram por Dilma por achar os outros candidatos piores e muitos, como eu, queriam alternância no poder (mas tivemos que optar por Dilma no segundo turno pois "tucanos" são inviáveis).

Mas criticar o governo Lula não torna o de Temer melhor. É inquestionável que se o que está ocorrendo fosse com nossa presidenta eleita Dilma, já teriam pessoas nas ruas batendo panela e xingando-a de todos os nomes.

Quis deixar registrado isto para que não digam que todos na esquerda são "petistas" e nem que não olhamos nosso próprio rabo. Isso a gente deixa pra direita de Michel Temer, que hoje está mais silenciosa do que nunca. Vamos bater panela povo!!

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Como se organizar para o fim do ano?

Sempre quando chega o final do ano nos animamos a colocar projetos em prática que adiamos por tempos. Aqui em casa o principal é fazermos aquela super faxina e limpar aquelas coisinhas que raramente limpamos. Vou listar algumas coisas abaixo que é comumente feitas:

  • Lavar as cortinas numa lavanderia: O tecido de minhas cortinas é muito sensível para pôr numa máquina de lavar, então, prefiro a opção de levar numa lavanderia;
  • Lavar cobertores e edredons: Outra coisa também ideal para ser lavada em lavanderia são colchas de grande peso, como edredons e cobertores grossos;
  • Doação: Adoro fazer aquela limpa no guarda-roupa e separar o que não uso mais pra doar para alguma igreja ou instituição de caridade. Tudo que vejo que não uso a mais de 1 ano e meio é doado;
  • Vendas: Ainda há aqueles objetos que estão em perfeitas condições e podem te render uma graninha ou uma boa troca. No Facebook há diversos grupos de trocas e vendas que podem te ajudar dar utilidade pra algo que você não usa mais. Eu sempre procuro pelos grupos do meu bairro, escrevo o nome do bairro + os termos "trocas" ou "rolo";
  • Limpar as janelas e pintá-las se necessário: Eu não limpo sempre as janelas de minha casa pois são de grade e dão muito trabalho. Não costumam juntar muita sujeira mas como só limpo uma vez por ano... Uma dica é limpar com uma meia velha enluvando suas mãos, e isso também pode ser usado na limpeza de persianas;
  • Organizar suas próximas metas para casa: Nessa limpeza poderosa ficará mais claro de se observar o que deseja para sua casa no próximo ano. Se desejas fazer algum tipo de reforma, agora é o momento para anotar todos os detalhes. Tire medidas dos cômodos, armários, paredes, tudo, assim ficará mais fácil de colocar os planos em prática;
  • Organize seu início de ano: Faça a rematrícula dos filhos no colégio, faça sua rematrícula na faculdade (confira a organização de suas matérias), caso esteja desempregadx, procure um meio mais concreto de fazer sua busca ano que vem (inscrevendo-se em algum site pago, agência de empregos, iniciando algum curso de profissionalização), organize suas pendências bancárias para não iniciar o ano devendo;
  • Decorar a casa pro Natal: Apesar de eu não ser religiosa eu adoro natal pois é uma época de união de nossas famílias, então, chame quem puder pra ajudar na decoração pro natal. E não deixe de conferir inúmeras ideias de decoração baratinha e reciclagem que há nos blogs e no Youtube 🎄🎅
  • Faça as pazes com alguém: Se tens alguém próximo que deixou de falar, brigou, perdeu o contato, procure essa pessoa. Muitos dizem que não procuram os amigos porque eles não o procuram, então, dê o primeiro passo 💗

Se você gostou destas dicas, curta nossa página no Facebook e acompanhe 💗⇩

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Direitos Humanos (Esquerda) defendem "bandidos"?

Recentemente lancei esse vídeo no meu perfil e teve bastante repercussão, incluindo bolsominions que brotaram do nada xingando. Se você acredita que a Esquerda e os Direitos Humanos defendem bandidos, confira este vídeo:

domingo, 20 de novembro de 2016

Estudos das Relações Étnico-Raciais no Brasil e Semana da Consciência Negra

Esta postagem é somente para divulgar este vídeo sobre racismo e uma espécie de introdução ao Estudo das relações étnico-raciais no Brasil. Nas universidades tem sido comum o estudo de questões de origem africana, tão negligenciadas no nosso passado.

Acompanhem o vídeo abaixo e já adianto que farei segunda parte desta postagem com textos mais escritos e didáticos.



Não estou abordando este assunto pra dar uma de Princesa Isabel e chamar atenção, apenas postei por causa da data e do andamento dos meus estudos na faculdade. Beijinhos, Thainá.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Existe Cristão de Esquerda? Jesus era Socialista?

Ser de Esquerda é acreditar num modelo econômico/ social onde há a abolição de classes sociais e todos trabalham para um bem comum. A propriedade privada não deve existir já que tudo deve pertencer a todos (propriedade privada é diferente de propriedade pessoal). O poder deve se concentrar na mão do trabalhador, SEMPRE!

Ser feminista não te faz "de esquerda", ser gay não te faz "de esquerda", ser pró-escolha (em relação a direito de aborto) não te faz "de esquerda", mas todas estas pautas são bem vindas na Esquerda atual pois acreditamos que numa sociedade igualitária não deve haver espaço para julgamento de escolhas pessoais. A liberdade é nosso lema, desde que não interfira no espaço de outra pessoa.

O Papa Francisco recentemente declarou que a pauta da pobreza, muito difundida no cristianismo (mas pouco aplicada na prática), foi "roubada" pelos comunistas. Ora seu Papa, você tá fazendo um jogo comigo? 😂

Eu admiro muito o Papa Francisco, apesar de seguir os preceitos cristãos ele demonstra por muitas vezes uma tolerância e um respeito pouco visto entre seus seguidores. Ele é contra o aborto, mas se posiciona a favor do perdão de quem já praticou. Ele é contra o casamento civil igualitário, mas demonstra que esta é a posição DA IGREJA, e somente dela. Gosto muito deste velhinho e dessa mensagem mais inclusiva.

Sei que alguns militantes da esquerda não gostam dele e acham que ele age politicamente sob pressão e de forma hipócrita. Eu já vejo que devemos valorizar os progressos, ainda que pequenos, da igreja católica.

O Maior Revolucionário que Você Respeita

Jesus foi um revolucionário. Ainda que discutível os fatos sobrenaturais que rondam sua história, não há que se negar sua passagem na Terra. Segundo o mundo, foi um homem que morreu pelo seu povo. Se voltou ou não, não sei, mas não vejo um caráter conservador numa pessoa assim.

Ser conservador é antes de tudo ser um acomodado. É entender que a vida não é perfeita e a que pobreza é inevitável. É ignorar as injustiças para com os mais pobres que, muitas vezes se esforçam, mas o capital os exclui. Ser conservador é crucificar pessoas que não agem como o sistema, como o que aconteceu com Jesus.

Ser de Esquerda é não aceitar isto, é saber que é possível uma sociedade mais igualitária, é ver as mazelas do capitalismo e do mercado agindo sobre os mais pobres e não aceita-las, é tentar mudá-las, é olhar pro próximo. Ser de Esquerda é se colocar no lugar do outro, é praticar empatia, é ter um coração cheio de ideais e coloca-los em prática, como Jesus fez.

Por diversas vezes vejo militantes na Direita dizendo que não deve-se ser Cristão e de Esquerda, que não é possível servir a dois senhores ao mesmo tempo, que é impossível ser cristã e feminista e eu entendo seus pontos de vista.

Mas como feminista marxista lhes digo que nunca vi um Esquerdista negar ao militante a liberdade religiosa, nunca vi um marxista impedir alguém de ser cristão, e estão aí nossas diferenças 😉

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Resenha: Livro Depois dos Quinze - Quando tudo começou (Bruna Vieira) sob uma perspectiva adulta


No vídeo abaixo faço um pequeno resumo e uma resenha bem pessoal sobre o livro da blogueira e escritora Bruna Vieira (Depois dos Quinze).

A linda já lançou 4 livros ("Depois dos Quinze - Quando tudo começou a mudar" (2012), "De Volta aos Quinze" (2013), "A menina que colecionava Borboletas" (2014) e o "De volta aos Sonhos" (também em 2014) ) e ainda mais um em conjunto com outras autoras.

Sempre admirei o profissionalismo da Bruna Vieira e embora não acompanhe tanto seu blog (pois é escrito para um público adolescente), sigo-a em todas as redes sociais pois me inspira como pessoa. Penso que muitas mães possam ter dúvidas quanto ao livro para permitir que seus filhos leiam, mas fiquem tranquilas pois é um livro muito fofo super adequado a idade. Não fala nada de sexo explícito, política, violência nem nenhum outro tema polêmico que queremos manter distante de nossa família.

Além de estimular a leitura dos mais jovens ainda quebra esse paradigma de que livro de Youtuber é fútil. Sei que ultimamente muitos sentem que no Youtube só há besteiras e youtubers fúteis, mas não é não, basta pesquisar, no Youtube e na blogosfera há muita gente inteligente compartilhando o que sabe e até no que alguns veem besteira há entretenimento.

Confiram no vídeo minha opinião sobre o livro "Depois dos Quinze - Quando tudo começou a mudar".



Se você gostou do vídeo, inscreva-se no nosso canal pra nos ajudar com seu incentivo 😊

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Trabalho no Mundo Contemporâneo - A História do Trabalho no Brasil

Anteriormente postei aqui neste blog dois textos com a temática do Trabalho ao longo da História (ou Trabalho no Mundo Contemporâneo) num aspecto amplo, mundial. Confiram aqui e aqui.

Hoje quero dividir com vocês alguns conhecimentos a cerca do trabalho e da industrialização especificamente no Brasil.


O trabalho rural (agropecuário) sempre foi forte no Brasil até a década de 1930. No cenário mundial, percebia-se a crise iniciada nos EUA por conta da Quebra da bolsa de valores de Nova Iorque em 1929, bem como uma Europa se recuperando no pós guerra e com pouco dinheiro disponível. No Brasil, a Revolução de 1930 fez os governos locais (estaduais e municipais) perderam força centralizando-se no governo federal.

Isto implicou na aceleração da industrialização e aumento do fluxo migratório campo ==> cidade. Getúlio Vargas inicia seu governo fazendo concessões ao setor cafeeiro e investindo em setores de base, como o siderúrgico, por exemplo. A modernização era visível e Vargas concentrava cada dia mais poder em suas mãos.

No cenário mundial, graças as crises iniciadas na década de 1930, os sindicatos e setores trabalhistas fervilhavam conquistando o apoio de trabalhadores: o socialismo, através de partidos comunistas, começou a ganhar voz e no Brasil nasceu o "Getulismo".

Diante do crescimento das demandas trabalhistas e setores industriais, Getúlio Vargas objetivava conquistar apoio da população: criou assim a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), em 1º de maio de 1943: um compilado de leis, usado até nos dias de hoje, discriminando direitos e deveres dos trabalhadores.

Era consenso que patrões e empregados possuem uma distância enorme. Entre outras palavras, até hoje notamos como o trabalhador se sente impotente diante do poder de seus chefes. Dessa maneira a Justiça do Trabalho se firmou como órgão de suma importância pra assegurar os direitos dos trabalhadores.

No Direito trabalhista, a figura da Tutela é a proteção estatal para que não haja total liberdade negocial entre patrões e empregados, de modo que deve-se obedecer o previsto em lei. Ainda que haja consenso entre ambas as partes, o estado entende que são partes desiguais, visto que a patrões podem chantagear, manipular e explorar seus trabalhadores em situações de Hipossuficiência.

Ocorre que, em períodos de altíssimas taxas de desemprego, falta de compradores e importadores, muitas empresas tentam flexibilizar os direitos dos trabalhadores para que não haja prejuízo. Isso faz com que setores da esquerda se sintam desrespeitados já que almeja-se poder nas mãos dos trabalhadores. Como lidar em casos assim? Deve-se colocar o acordado acima da lei?

Tal situação fez com que fábricas mudem-se de país em país, buscando sempre se estabelecer onde a lei trabalhista é liberal. Assim é nomeada a Flexibilização Geográfica.

Nos países considerados "primeiro mundo" é comum que  a população trabalhadora ativa no setores primários (agropecuária e criação de animais) seja menor em comparação a países subdesenvolvidos. Mas isto acontece não por falta de fazendas e colheitas mas sim pelo excesso de maquinário no lugar de gente. Como consequência disto a população economicamente ativa tende a diminuir, pelo menos no campo.

No Brasil e no mundo o medo é que esse avanço tecnológico afete outros setores também. Os trabalhadores bancários, por exemplo, estão perdendo espaços para máquinas de auto atendimento. Sendo assim podemos admitir a existência de três tipos de desemprego:

  • Desemprego Friccional: Aquele mais comumente conhecido, em ocasiões simples onde uma empresa necessita de um funcionário específico para determinada tarefa, mas ainda não o possui;
  • Desemprego Conjuntural: São aquelas demissões em massa decorrentes de crises financeiras, como em períodos de chuva prejudicial à colheitas, por exemplo. Tendem a ser temporários e flutuam entre altos e baixos nas sociedades;
  • Desemprego Estrutural: É a verdadeira extinção de vagas de trabalho. O mais comum é ocorrerem por avanço tecnológico;

Como consequência do desemprego estrutural vende-se a falsa ideia de empregabilidade, que é o pensamento de que se uma pessoa está desempregada a culpa é da falta de profissionalização dela, e não das falhas no mercado de trabalho. Alguns defendem até a redução da jornada de trabalho comum no Brasil (40 - 44 horas semanais) como meio de aumentar a oferta de vagas de trabalho. Esta seria mais uma maneira de flexibilizar leis trabalhistas.


Privatizações, terceirizações e parcerias

Na década de 1990 o Brasil entrou na onda das privatizações de empresas antes estatais, como a Usiminas, a Vale do Rio Doce, etc. A desculpa para tantas vendas foram que o serviço público e estabilidade dos funcionários geravam comodidade e queda na qualidade dos serviços. Ocorre que muitas das empresas privatizadas mostraram ao longo do tempo a mesmíssima prestação de serviço. Um exemplo é o antigo BANERJ que foi comprado pelo Itaú: as filas e o atendimento lento diminuíram? Não!

Outro fenômeno bastante usado e fortalecido pelas parcerias público-privadas foram as terceirizações. Se antes todos os funcionários de uma empresa (empregados produtores, serviços de limpeza, serviços de alimentação) eram representados por um único sindicato passaram a ser representados por uma empresa diferente que terceiriza seu serviço. Isto enfraquece o aspecto unitivo dos empregados dificultando greves e protestos em casos de abuso. Ocorre assim o fenômeno conhecido como Reestruturação Produtiva. De certa forma a terceirização contribuiu para a queda nos salários dos funcionários eis que é preciso pagar a empresa terceirizadora.

Algumas empresas apelam atualmente para a produção flexível: seus funcionários trabalham de acordo com a demanda de encomendas e em certas épocas trabalham mais ou menos, de acordo com seus bancos de horas. Os desejos dos clientes tornam-se norte para a produção e a Qualidade Total o principal lema da empresa.

Essa filosofia é falha no momento que só cobra do empregado o dito empenho, eis que ele precisa de um ambiente favorável a criação. O correto seria o empregador proporcionar os meios para conforto e criação impecável, e também estender-se aos outros funcionários, já que a uma produção não depende de uma única pessoa.


Economia Solidária

Atualmente com o crescimento do desemprego estrutural notamos uma certa iniciativa para evitar as pessoas no olho da rua, que seriam o tomamento de empresas falindo por seus funcionários. As cooperativas de trabalhadores unidos em serviços igualitários crescem cada dia mais como maneira de manter-se ativo, consequentemente manter tais vagas.

As pessoas sentem que sindicatos não são mais capazes de manter seus empregos pois a extinção de vagas de trabalho tem ocorrido com o avanço tecnológico. Hoje em dia no Brasil cresceu bastante o número de empresas tocadas pelos próprios trabalhadores e apenas 5% delas é limitada a consumo dos próprios operários.

Um dos pontos fortes da economia solidária é a recuperação de empresas falidas, a maior parte delas concentra-se no nordeste brasileiro, região super atacada pelo desemprego.



Referências bibliográficas:

1. DELGADO, Maurício Goldinho. Capitalismo, trabalho e emprego. São Paulo: LTR, 2005.
2. MARRAS, Jean Pierre. Relações trabalhistas no Brasil. São Paulo: Futura.
3. PINTO, Bernadete E. de Rosa. A flexibilização das relações de trabalho. São Paulo: LTR, 2005.

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Como anunciar no Instagram? Vida de Doceira #09

Neste vídeo e nesta postagem quero compartilhar com vocês algumas dicas e bizus para ajudar em vendas e anúncios do Instagram. Recentemente o Instagram lançou uma ferramenta que permite tratar seu perfil por lá como pessoa jurídica para assim permitir anúncios. Mas de que adianta gastar um dinheiro anunciando se o seu perfil e seu feed é mal organizado?

Confira no vídeo abaixo algumas dicas, inclusive pra começar do zero, ou seja, para pessoas que não sabem usar o Instagram e querem criar uma conta pra vender doces e salgados ou ainda anunciar serviços como de cabeleireiro, maquiador, vendedor de roupas, maquiagem, etc. 


Siga no Instagram @doceriadetalhes

Instagram

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Faça e Venda: Mini Pavê

Na receita de hoje vamos conferir um pavê super versátil que pode ser montado e servido de várias maneiras. O creme branco básico combina com diversas opções e leia a postagem até o final pra conferir.


Ingredientes:
  • 1 litro de leite integral
  • 3 col. de sopa de amido de milho
  • 1 "tampinha" (ou uma col. de sopa) de essência de baunilha
  • 1 caixinha (395g) de Leite condensado
  • 3 col. de sopa de açúcar
  • Biscoito Maizena
  • Leite para molhar os biscoitos
  • Cobertura a gosto (veja sugestões no final da postagem)

Modo de Preparo:
  • Numa panela, em fogo médio, misture o leite integral, a maizena (dissolvida), o leite condensado, o açúcar e a essência de baunilha;
  • Mexa até engrossas, estilo mingau;
  • Deixe esfriar mexendo bem (uso um ventilador pra ajudar) pois se deixar esfriando naturalmente criará uma película;
  • Caso isso ocorra, bata num mixxer para ficar uniforme e sem grumos;
  • Você também pode colocar um plástico filme rente ao creme e pôr na geladeira pra esfriar, assim evitará grumos também;
  • Após esfriar, forre a embalagem (ou refratário) com o creme, depois cubra formando uma camada de biscoitos umedecidos no leite;
  • Finalize a gosto;

Confira a preparação do pavê no vídeo abaixo:


Nesta receita eu finalizei a última camada do pavê com ganache de chocolate meio amargo. Fica uma delícia e vende MUITO. Você também pode finalizar com:

  • O próprio creme do pavê e amendoim torrado e moído;
  • O próprio creme do pavê e morangos picadinhos;
  • Algum creme de brigadeiro, beijinho, morango de suco em pó;
Assim você terá uma variedade de sabores :)

A Essência de Baunilha pode ser substituída por uma 2 gemas peneiradas e você ainda pode fazer as claras restantes em neve para cobrir o pavê :)

O rendimento do pavê varia pois nessa receita usei a ganache para cobertura, rendendo mais dessa maneira. Se eu usasse o próprio creme, como em alguns casos, renderia menos unidades. Eu vendo por R$5,00 numa embalagem de 200g, mas você pode variar entre R$5,00 à R$7,00, dependendo de onde você more. Estes valores são uma média e o ideal é que você conte seus gastos.

Espero que tenham gostado da dica e peço por favor que se inscrevam no canal do Youtube pra conferir de perto todos os vídeos :)

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Crivella ganhou, e agora?

Ontem foi um dia triste pra minha cidade, o candidato Marcelo Crivella (PRB), bispo da igreja universal, reaça de carterinha e demagogo venceu o segundo turno das eleições. Embora Crivella não seja a pior opção pra cidade (haviam piores), não era nele que depositei minhas esperanças :(

Pior de tudo é ver a gama de alienados entrando em mensagens no meu Facebook falando "Chora Petralha", "Chora Freixete" como se estivesse falando de um time de futebol.

No vídeo abaixo exponho um pouco do que representa esta Eleição Municipal:



De hoje em diante quero assumir o compromisso com quem acompanha este blog de seguir cada passo deste prefeito. Suas propostas serão expostas aqui e acompanhadas durante esses quatro anos. Também gostaria do apoio e colaboração de vocês nesse sentido, me enviando matérias, links, e novidades sobre qualquer coisa.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Vantagens e Desvantagens de ser Doceira

Nesta postagem quero elencar alguns motivos para você se jogar na tarefa de vender doces e salgados. Além de ser uma profissão tradicional e lúdica, vender doces e salgados me fez uma pessoa melhor.

Existem desvantagens, é claro, como em todas as profissões, mas, se você quer vender doces e não sabe se vale a pena ou não, fica aqui a reflexão. 

Existem outras vantagens além das que citei no vídeo, desvantagens também, mas em tudo que já trabalhei, vender doces e salgados está entre as atividades que mais me proporcionam satisfação.

Acompanhe o vídeo e deixe sua opinião: Qual a maior vantagem e qual a maior desvantagem pra você em relação ao trabalho na cozinha?



Se você gostou do vídeo, inscreva-se no nosso canal pra nos ajudar com seu incentivo 😊

domingo, 23 de outubro de 2016

A irresponsabilidade de se compartilhar certas informações

Queria deixar claro que aqui na Internet deveria ser como na TV num aspecto: sou a favor de um certo tipo de censura. Não sou ditadora nem contra a liberdade de expressão, mas devíamos nos questionar antes de se compartilhar certas coisas e poderia haver uma espécie de filtro pra publicações no Youtube e em outras redes sociais.

Dia destes estava assistindo um vídeo de um professor e fiquei um pouco decepcionada com o que ele compartilhou. Infelizmente terei que mencionar o que foi falado para vocês entenderem bem o que quero dizer.

Este professor estava dissertando sobre o consumo de água no Brasil e economia, coisa que sempre fui a favor pois sou contra desperdícios. Ele disse que "nós devemos sim economizar água em nossas atividades diárias mas que o maior desperdício ocorre por parte de grandes indústrias e setores rurais".


Embora esta afirmação seja verdade acredito que seja irresponsável compartilhar este tipo de informação publicamente pois muitos dos que não economizam água utilizam-se deste argumento para continuar desperdiçando.

Quando falamos ou escrevemos qualquer coisa nossas ideias ficam evidentes após o "mas". Seria a mesma coisa se eu dissesse, por exemplo: "_Não tenho nada contra os gays, mas acho que eles deviam se relacionar somente entre quatro paredes". Este tipo de afirmação demonstra que, por mais que você se esforce pra não demonstrar homofobia, você é homofóbico.

Devemos filtrar o que compartilhamos sempre!! Até dentro da política e da militância virtual têm ocorrido muita coisa desnecessária. Muitos postam seus pontos de vista somente para chocar, chamar atenção e quando nos perguntamos qual foi o propósito daquela postagem, não sabemos responder. Quando sabemos, concluímos que não é a melhor maneira para aquele propósito. Uma das razões pelas quais criei este blog não é só pra divulgar a militância, mas pra apresentá-la a quem não conhece.

Quando compartilhamos informações de forma irresponsável, estamos nos igualando a reacionários preconceituosos que acham que ofender um gay, transsexual, lésbica, negro, deficiente físico, etc, é apenas liberdade de expressão.

Ser contra a simples existência de alguém, existência esta que em nada afeta você ou seu meio, é preconceito e isto não deve ser compartilhado, incentivado e aplaudido de maneira alguma. Compartilhar informações irresponsáveis não é certo e toda vez que postamos algo ou comentamos devemos nos questionar: Isto ofende alguém? O que acrescenta na sociedade? É importante de alguma maneira? É mesmo necessário? Daí sim vale a pena opinar.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Precisamos falar sobre piadas com cristãos

Comentei recentemente num vídeo que é permitido sim fazer piadas com cristãos, mas isto soou meio vago e de dupla interpretação. Cá estou aqui pra me explicar.

Hoje lançaram uma polêmica foto envolvendo o cristianismo numa promoção do Concurso Miss Bumbum 2016 (que merece uma ressalva pelo simples fato de ainda existir, mas falo disto num outro post). Na foto, as concorrentes simulam a imagem da Santa Ceia e cristãos pelo Brasil entraram em histeria. Não lhes tiro a razão porque acho que fé e orientação política são coisas muito íntimas, devemos respeitar , mas só até onde não interfira no direito dos outros.

Concurso Miss Bumbum

Acontece que nossa sociedade é basicamente cristã. Não digo que somos todos cristãos mas nossas leis, comportamentos e moral foram moldados no cristianismo, que de certa forma foi bom e ao mesmo tempo ruim. Os aspectos bons devemos valorizar e levar pra vida sempre, não nego, mas os aspectos ruins devem ser sim questionados e de preferência erradicados.

A escravidão do povo negro no Brasil, por exemplo, teve muita base bíblica e até hoje alguns pastores acreditam que a África é de fato uma terra amaldiçoada (a única maldição africana foi o domínio pelo homem branco). Nas décadas de 30, 40, negros não podiam casar-se na igreja, ainda mais se fosse um casamento inter-racial. As igrejas e os cristãos hoje em dia já aceitam melhor o negro, logo, o racismo é uma tradição cristã que aos poucos tem sido exterminada. Ótimo!

No entanto, a igreja ainda é restritiva e não aceita o casamento entre pessoas do mesmo sexo, por exemplo. Como a homofobia é cultural, sendo reproduzida inclusive por pessoas que não são da igreja, podemos afirmar com certeza que a igreja católica exerce uma ENORME influencia em nossa sociedade.

Se tal influencia é inquestionável e atinge tantos ramos sociais, como poderia uma pessoa oprimida ter poder pra escarnecer um cristão? Não tem! Uma piadinha com um cristão, embora infeliz, não tem poder de reproduzir nenhum estereótipo. Agora quando um cristão faz uma piada com um umbandista ou candomblecista, por exemplo, ele está repetindo uma ladainha escrota que a igreja pregou durante muito tempo enfatizando que religiões de matriz africana são ruins.

Não incentivo piadas contra cristãos nem com nenhuma religião, mas não podemos nunca comparar uma piada de mau gosto contra o cristianismo com piadas com negros e pessoas de outras religiões porque no primeiro caso não há uma estrutura social de preconceito enraizada na gente. No caso de religiões de matriz africana e pessoas de pele negra há um histórico cultural de preconceito e segregação. Não será eu que continuará perdurando esta filosofia.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Você sabe o que é Feminicidio e Cultura do Estupro?

Feminicídio é o ato de tirar a vida de uma mulher somente por ela ser mulher, somente por características associadas socialmente às mulheres. Nossa sociedade machista e patriarcal muitas vezes induziu comportamentos que nos levassem a enxergar a mulher como propriedade do homem, logo, o feminicidio é a violência contra a mulher nas condições de submissão, em situações que dela era esperado um comportamento dito como "feminino".

Na nossa legislação não existe um crime definido como "feminicídio" mas nos crimes de homicídios motivados por machismo, sentimento de posse, passionalismo de homens para com as mulheres, entende-se que é possível rolar um aumento de pena, por exemplo. Isso depende de cada juiz ao aplicar a pena.

Provas de que a Cultura do Estupro existe
Jovem argentina de apenas 16 anos, drogada, estuprada e torturada até a morte por 16 homens

Uma jovem de apenas 16 anos foi drogada e estuprada na Argentina neste último sábado, dia 15 de outubro. A crueldade como este crime bárbaro ocorreu é o que chamou atenção: 16 homens a estupraram e enfiaram em seu ânus uma estaca de madeira, percorrendo-lhe o corpo. Sim, em pleno século XXI uma jovem foi empalada. Não existem palavras pra descrever o que é o medo e a dor de uma mulher que sofreu isto :(

No nosso país existe uma Cultura do Estupro. Embora muitos digam que estupradores são altamente repudiados na nossa sociedade (o que de fato ocorre), muitos comportamentos que levam a um abuso são incentivados. A pornografia violenta, a infantilização de mulheres adultas e a "adultização" de jovens adolescentes, a exigência de uma aparência feminina cada vez mais infantil, a culpabilização da vítima nos casos de violência, tudo isto contribui diretamente para a cultura do estupro.

No Brasil (e no mundo, talvez) a Cultura do Estupro é basicamente o entendimento de que a mulher "pede" para ser estuprada. Isto é bem claro nos portais de notícias quando há alguma nota sobre um determinado caso e pessoas usam de comentários para apaziguar o comportamento violento do estuprador. O exemplo mais clássico é quando a estuprada é uma mulher em ambiente hostil, tarde da noite, embriagada ou usando roupas curtas. Sempre relativizam a conduta do homem que errou, sempre tentam culpar a mulher.

Entendam: Nenhuma mulher merece ser estuprada! Nenhuma mulher "pede" por isto. Ainda que ela tenha combinado uma "festinha particular" com 30 pessoas, a partir do momento que ela pede pra parar, todos devem ouvir.

Sabe o que nos deixa mais triste (em relação ao estupro ocorrido aqui o Brasil)? É que em solidariedade a jovem violentada várias de nós colocamos aquele filtro "Eu Quero o fim da cultura do estupro" e grupos reacionários, sarcasticamente, colocaram "Eu quero o fim do feminismo". Ou seja, ao invés de lutarem contra essa violência bárbara, acham mais importante acabar com um movimento social que só ajuda as pessoas. Pra mim, quem faz isto é igual ou pior que um estuprador.

As mulheres na Argentina estão se unindo fortemente numa greve geral e indo às ruas, vestidas de preto, em luto pelo ocorrido. Espero que aqui no Brasil não precise ocorrer o mesmo para que muitos e muitas parem de deturpar o feminismo, o único movimento realmente envolvido na bandeira anti-violência contra nós mulheres.