segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Educação sexual nas escolas e o MEC

Recentemente está se falando muito sobre propostas de incluir-se Educação Sexual nos colégios públicos e isto gera um enorme falatório na internet, principalmente com MUITAS informações erradas.

Como este blog é sobre vida doméstica e muitas donas de casa e mamães acessam aqui, quero conversar com vocês sobre esse assunto.

Primeiramente, gosto de ressaltar que minha visão política não é 100% radical para um lado, embora eu me identifique mais com os ideais de esquerda. E é justamente a "esquerda" que defende que nossas crianças devam aprender na escola sobre Educação Sexual.

Entenda que eu não sou expert em nada sexual, então, maneirem nos comentários... rs. Tenho algumas dúvidas inclusive a respeito disso. No entanto, lembro que quando tinha meus 12 anos de idade, eu tive aula de Educação Sexual no colégio, por isso me espantam que esse assunto esteja em voga, eu achava que isto ainda era ensinado.

Sinceramente? Sou um pouco contra educação sexual no colégio, porque acho que isto deve ser ensinado pelos pais, MAS, nem todas as crianças tem pais presentes dentro de casa, e muitos pais também não sabem orientar seus filhos. Outros pais se sentem constrangidos de conversar sobre isso, logo, sou a favor da educação sexual nesses casos. Sendo assim, acho que seria ideal este tipo de matéria ser opcional. Os pais que são contra, simplesmente não teriam seus filhos matriculados nessas aulas, ou pais que são a favor e até precisam dessa ajudinha, teriam seus filhos matriculados. Simples, né? Mas e as crianças cujos pais nem estão presentes o suficiente pra decidir? Essas sim, precisam da educação sexual. Toda criança precisa de um referencial de família sólido, pessoas com princípios para orientá-los, e a orientação precisa vir de um adulto sério (não confundam isso com família tradicional nos moldes cristãos).

O grande problema é que tudo que vai pra internet vira alvo de boatos. Um deputado aí alega que a Educação Sexual nos colégios induz a pedofilia, é pra crianças de 5, 6 anos, induz o "homossexualismo", etc. TUDO MENTIRA!! Lembrando que a um tempo atrás foi tentando introduzir-se uma cartilha aos alunos sobre TOLERÂNCIA E RESPEITO à comunidade LGBT e os desonestos criaram a expressão "kit gay" para fazer a massa ignorante acreditar que o MEC estava tentando fazer nossas crianças "virarem" gays, quando na verdade esta cartilha apenas mostrava de forma fácil que nós devemos nos respeitar independentemente da orientação sexual. Com isso, os mesmos desavisados tem apoiado esse deputado que finge olhar pelo bem da população mas na verdade apenas exclui minorias. Esta proposta de Educação Sexual nos colégios é ótima, ainda mais se for implantada de forma opcional, mas ele deturpa até nos fazer acreditar ser prejudicial. Não acreditem em tudo que na internet, não compartilhem estes absurdos.

Abram os olhos pessoal, nem tudo que reluz é ouro. É fácil manipular uma população com discursos populistas, difícil é colocar em prática o que se diz. No caso deste deputado, não é por falta de oportunidades, já que está tanto tempo em mandato. Política não é time de futebol que você apóia independente de qualquer coisa, seja qual visão você tenha, apoie o que é certo.

Beijos, Thainá.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

É blogueira? Conhece os limites de seu blog? Saiba aqui

Você que tem blog no Blogspot (blogger) sabia que ele possui limites de envio de arquivo? Toda vez que postamos uma foto ou um vídeo no blog (em casos de vídeos, não estou falando de incorporações do Youtube e sim postar diretamente na área de postagem pelo blogger) ele ocupa um espaço que tem limites! É o limite de sua conta do Google.

Sempre que posto uma imagem aqui no Blog, redimensiono para que ela não fique pesada. Evito fotos muito pequenas, mas evito deixá-las pesadas demais, geralmente as minhas tem de 100 a 200KB.

E como faço isto? Faço pelo paint brush... huahuahua... basta clicar em "redimensionar" e colocar um valor. Por exemplo: geralmente coloco pra que fique somente 20% do tamanho real e salvo.

Limite Fotos Vídeos Blogspot Blogger

Como saber sobre meus limites? Primeiramente saiba que toda foto que você posta no Blog fica salva em seus álbuns da web do picasa, basta acessar picasaweb.google.com e ver lá em baixo quanto você está usando. Se estiver perto de seu limite, delete fotos que você carregou pra postar no blog mas decidiu não usar. Você também pode salvar no seu computador, redimensionar, e postar novamente.

Enfim, fica a dica para as blogueiras que amam esse mundinho. Não esqueça de avisar pra sua amiga blogueira que não sabe dessa informação. Beijos! Thainá.

Veja também: Como ajustar as fotos do meu blog para que fiquem proporcionais?

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

5 coisas baratas pra fazer nas férias

Hoje resolvi compartilhar com vocês umas dicas pra curtir as férias, ou fim de semana tedioso, gastando pouco ou quase nada de dinheiro, pois estamos em tempos de crise econômica no país... hehe.

1 - Uma caminhada no bairro: As vezes fico tanto dentro de casa, ou saímos só de carro, ônibus, e esquecemos que podemos andar. Quando coloco uma roupa confortável, preferencialmente roupa de ginástica, consigo caminhar por muito mais tempo que no dia a dia comum. E sair numa tarde caminhando pelo bairro, pelo menos pra mim, é relaxante.

2 - Testar uma nova receita: É muito bom testar novos pratos pois ao sairmos de nossa zona de conforto, estamos exercitando o cérebro. Veja aqui no blog todas as receitas e mande ver ;)

Coisas para fazer nas férias

3 - Seriados em dia: Aproveite pra assistir aqueles episódios atrasados das suas séries preferidas, não custa quase nada e é um ócio gostoso... hehehe.

4 - DIY, Faça você mesmo: No Youtube há diversos vídeos ensinando a fazer lembrancinhas, itens decorativos, presentes, tudo de forma caseira e amadora, com poucos recursos. Aproveite o dia de folga e faça aquele que tanto quer, mas só adia ;) Veja aqui os DIY do blog.

5 - Visite seus amigos: Uma coisa que me tocou a uns anos atrás foi uma matéria que dizia do que as pessoas mais se lamentavam em seu leito de morte. Uma enfermeira constatou que não é sobre dinheiro, bens materiais, ou trabalho de menos que as pessoas se queixam e sim, de não terem se dedicado a verem seus amigos e familiares com mais frequência. Vamos pôr em prática? A tempos atrás me prometi que iria visitar um amigo pelo menos, uma vez por mês. Não coloquei em prática, rsrs, mas pretendo pôr em breve.

E você? O que espera das férias? Beijos, Thainá.

Foto: BolsadeMulher.com

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Site "Meu patrocínio" x Prostituição

Recentemente tem falado-se muito nas redes sociais, principalmente no Facebook, sobre o site "Meu patrocínio", cujo objetivo é unir casais no maior estilo "par perfeito", porém, um detalhe chama bastante atenção: o site claramente expõe que o objetivo maior é unir mulheres que procuram um homem de boas condições financeiras pra mimá-las. Sim, é um tema polêmico, e se você ainda não ouviu falar deste site, bem vindo a 2016.

Nesse pouco tempo de casados eu pude notar que dificilmente fugimos a nossa natureza. Eu, como mulher cisgênero, amo vivenciar as coisas que são classificadas como tipicamente femininas: cuidados com a casa, "cuidar" do marido, cozinhar, gosto de ser feminina, mesmo não sabendo me arrumar muito bem, enfim. Amo essa vida "tradicional", adoro a sensação de proteção que sinto ao colocar a cabeça no peito do meu marido quando deitamos... Enfim, amo ser mulher! 

Isto quer dizer que sou conservadora e sou dona da razão? Não! Não me considero uma pessoa conservadora pois acredito que não é só porque eu gosto, o mundo precisa gostar. Eu, sinceramente, não curto a ideia do site meu patrocínio, pois acho que isto faz as pessoas buscarem um objetivo que a limita, que a torna dependente de outra. Não estou mencionando "homem" "mulher". Estou mencionando pessoas. Isto porque o site já se pronunciou dizendo que haverá a versão gay, onde uma pessoa busca alguém para sustentá-lo da mesma maneira. Eu amo a vida doméstica, mas não sinto vontade de ser dona de casa, isso já me tira da vida conversadora, né nom?

Thainá, você odeia donas de casa? Óbvio que não, até porque sou uma. Ter uma profissão não exclui a mulher de ser dona de casa, porque, pra mim, ser dona de casa é um estado de espírito. Não se trata de gostar de varrer casa, pra mim, é gostar do seu lar. Eu AMO minha casa, amo ter um cantinho onde eu possa deixar do jeitinho que sempre sonhei. Não entendo (mas respeito) a cabeça de pessoas que preferem investir em outras coisas sem ser seu lar, pois, penso sempre que depois de um dia estressante, o que mais prezo é obter um conforto, que só encontro no aconchego da minha casinha.

Site Meu Patrocínio

Mas voltando a falar do site Meu patrocínio. A ideia de buscar alguém pautada nos interesses financeiros é ruim pra mim, mas faço algumas ressalvas. Primeiramente: muitas pessoas já fazem isto naturalmente, sem a ideia de um site que apenas facilita. Não sejamos hipócritas. Segundo que não posso nem devo julgar ninguém: além de eu não ser uma pessoa perfeita, a vida dos outros não me diz respeito enquanto não me afetar. De certa forma, tudo que o outro faz e não prejudica ninguém, não é de nossa conta, por isto não considero errado participar de algo nesse molde, só acho que é algo que não quero pra mim.

O simples fato de eu não querer isto pra mim já implica consequências fortíssimas, pois tudo que optamos na vida tem uma consequência. Assim, não posso presumir que minha vida é melhor do que àquelas que se inscrevem nesse site. Sou uma pessoa que gosta de viver bem com meu marido, nos moldes mais comuns, porém, não excluo uma experiência diferente, nem um estilo de vida alternativo, nunca sabemos o dia de amanhã...

Enfim, só fiz este texto pra dizer que sempre que julgar uma conduta errada, pense se ela realmente afeta sua vida, ou de outra pessoa. Se não, não é de sua conta, apenas respeite. Beijos, Thainá.

domingo, 10 de janeiro de 2016

Descarte correto de lixo

Quis compartilhar com vocês sobre isto porque a cerca de um ano comecei a regrar isto em minha casa.

Moro na Zona Oeste do Rio de Janeiro e aqui nós temos o caminhão de lixo orgânico que passa recolhendo 3x por semana, e uma vez por semana passa o caminhão da Coleta Seletiva.

Eu separo embalagens limpas de plástico e de papel para que eles da Coleta Seletiva recolham uma vez por semana e vocês não tem noção de como o lixo reciclável é maior em volume em relação ao lixo orgânico. É importante destacar que nós devemos pôr o lixo reciclável numa sacola transparente ou translúcida, para que os garis vejam que é lixo reciclável ali dentro. Sacos pretos são proibidos.

Como organizo meu lixo? As cascas de verduras, restos de verduras e legumes eu coloco na minha horta. O óleo usado e velho coloco numa garrafa pet peneirado. Este, também é colocado junto ao lixo orgânico para que os garis recolham. Existem locais que buscam em sua casa e até trocam por detergentes líquidos, mas geralmente esta escolha é mais interessante pra restaurantes, pois você precisa de um certo número de óleo em litros. Aqui no Rio é 30 litros, e como tenho usado fritadeira sem óleo, quase não uso.

Descarte correto do lixo | Coleta Seletiva | Reciclagem

No lixo reciclável coloco: jornais velhos, papéis limpos, como impressos pelo computador, envelopes, caixas de papelão, embalagens de garrafa pet, de manteiga, de produtos de limpeza (limpas), latinhas de alumínio, de leite em pó, fios e cabos, garrafas de plástico, copos de plástico. Recipientes de vidro também coloco, mas tudo numa sacola só e identificado. Coloque um papel identificando vidro, assim o gari evita o risco de se cortar.

Não pode-se colocar celulares, baterias, cds, fitas VHS, etiquetas e fitas adesivas, aquelas notinhas de supermercado que somem com o tempo, isopor, fralda descartável, absorventes, papéis sujos, espelhos, cristais, latas de tinta, etc.

É importante salientar que sempre devemos dar uma limpada nas garrafas e embalagens recicláveis, pois o resíduo orgânico prejudica a reciclagem.

Não separar o lixo não é desculpa pois mesmo nos locais onde não passa o caminhão de coleta seletiva, você pode separa-lo e colocar pra fora que sempre há catadores que pegam e vendem.

Enfim, me sinto bem melhor comigo mesma sabendo que estou contribuindo para um futuro melhor :) E você, como contribui?

Quem me inspirou a fazer esta postagem foi a Ingrid do Blog Dona Ingrid, que é lindo, fofo e com certeza vocês deviam acessar ;)

Foto: riocooperativo.files.wordpress.com

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

A superioridade da mulher casada e da maternidade

Resolvi escrever sobre isto após me deparar com esse meme no Facebook:


Traduzindo: criou-se este meme porque acham que só quem é agraciada pela maternidade tem 100% de seu tempo ocupado, e quem não tem filhos vive no ócio.

Pra começar: muitos aqui sabem que já fui Au pair (babá) e tomava conta de 4 crianças... QUATRO crianças. Além disto, eu ainda tinha que "manter" a casa arrumada, porque a mãe destas crianças achava que era possível ter um sofá de veludo branco com QUATRO (sim, quatro!) crianças dentro de casa + um cãozinho.

Até aí tudo bem, eu era paga pra isto, não fazia mais que minha obrigação. Mas desde quando cuidar de seus próprios filhos virou favor? A mulher vai lá, tem filho, e fica se vangloriando em rede social por cuidar deles. Minha filha, você está fazendo o que é obrigação sua e do pai da criança, apenas isto.

Criar filhos não é fácil, com certeza, mas sabe que mais não é fácil? Pegar 3 conduções lotadas até o trabalho, acordar às 4:00h da manhã para realizar trabalhos braçais, agropecuários, construção civil, etc. Sabe que mais não é fácil? Fazer tudo isto e no final ter que ir para a faculdade que você não pode fazer durante o dia pois precisa de dinheiro pra pagá-la. Chegar em casa e ainda ter que preparar janta quando já queria estar dormindo pra fazer tudo novamente no dia seguinte.

Uma das coisas que mais me incomodam são pessoas que diminuem as "lutas" das outras. Cada pessoa tem seu tempo, sua história, seu ritmo e só ela mesma sabe pelo que já passou. Não ache que, só porque pôs um filho no mundo, você é melhor que alguém. O mesmo vale pra quem é casada. Ás vezes comento com amigas solteiras que o casamento é diferente do namoro, mas evito porque não quero parecer estar diminuindo alguém. Saliento que é diferente, mas não julgo ser melhor nem pior.

Você sabia que se gabar por ser mãe e cuidar de seus filhos fomenta atitudes machistas? Uma das raízes de uma sociedade machista é acreditar que a mulher só é completa ao ter um marido e filhos ao lado. Este tipo de pensamento é totalmente retrógrado e oprime a liberdade da mulher de uma maneira que podemos ver na prática. Quem solteiro/ sem filhos nunca se sentiu ofendido com estes discursos que nos faz acreditar ter uma vida fácil somente por não ter cria/ marido? Minha irmã é enfermeira e rala muito mais que algumas mães que conheço. Ela faz plantão na madrugada com vários doentes sob sua responsabilidade, enquanto vejo algumas mães postando foto tomando banho de piscina com o filho. Não estou condenando quem se diverte com seus filhos e sim as chatas de plantão que se fazem de vítima de uma situação que foi escolhida. E nem vem com papo de que "não sei porque não tenho filhos". 

Não seja esta pessoa ;)

Beijos, Thainá.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Ivete Sangalo x Casamento na real

Queria começar um ano falando de um assunto que de vez em quando eu trago aqui, que é o casamento. Não tenho tanta experiência no assunto, mas morar com meu amor me fez aprender muita coisa. Quando eu era solteira e apenas namorávamos, achava que casais que falam que no casamento "é diferente" faziam isto somente para nos diminuir, mas não. Realmente, quando casamos, as coisas mudam totalmente de figura, não por ser algo acima da solteirice, mas por você morar com outra pessoa.

Antes de morar com meu amor, morei uns meses nos Estados Unidos e até relatei bastante coisa de como foi o intercâmbio (clique aqui pra ver minha experiência como Au pair) aqui no Blog. Lembro que certa vez estava lá, e uma amiga me convidou para um churrasco onde só teriam brasileiros. Agradeci mas disse que não poderia ir. Por que fiz isto? Eu já era comprometida com o Eduardo na época, e achei que, por estar numa situação de fragilidade, longe da família, com alguns probleminhas por lá, poderia facilitar a aproximação de qualquer pessoa do sexo masculino. Agi como gostaria que ele agisse, se fosse o contrário.

Acontece que vejo muitas pessoas cagando regra dizendo: "_Isto não é certo, se você confia mesmo nele, você deixa". Frases prontas pra afirmar que, quando há segurança num relacionamento, devemos deixar que o outro faça o que bem entender. Aham! 

Acho que este discursinho é muito hipócrita. Eu e meu marido não nos proibimos de nada, mas sabemos que certas atitudes magoarão o outro, mesmo que a princípio não haja maldade alguma. Ir num churrasco para brasileiros podia não gerar nada, mas também podia. Nós casados devemos evitar este tipo de situação que facilite ou induza uma traição. Só quem é casada sabe que é muito difícil que seu marido possua uma amiga verdadeira que não haja maldade. Sempre falo: _Homem casado tem colega, não amiga!

Existem casais que vivem em relações livres/ abertas, e eu respeito ao máximo, pois vivem de maneira que não há mentiras. No entanto, se você combina de viver um relacionamento monogâmico com seu cônjuge, respeite-o, pois acredito que até nos relacionamentos poligâmicos há limites impostos pelos próprios companheiros.


Muitas feministas estão criticando a postura da cantora Ivete Sangalo por entenderem que ela culpabiliza a mulher que estava conversando com seu marido durante o show. Talvez Ivete tenha errado, mas, além de culpabilizar seu marido também, a cantora tem uma coisa chamada "sangue correndo nas veias". Muitas vezes quem ama e tem este tipo de temperamento, acaba passando alguns limites.

Não estou defendendo-a, mas também não a condeno. Sei que o casamento é algo totalmente diferente da teoria, do politicamente correto, então, prefiro não julgar. E que foi engraçado, foi! rs

Beijos, Thainá.

Imagem: O Fuxico