quinta-feira, 3 de março de 2016

Precisamos falar sobre sua realização através dos filhos

Acabei de ler um texto muito bom sobre abuso materno e tive a ideia de dissertar sobre este tema, Realização através dos filhos, porque acabei linkando uma coisa a coisa.

Uma coisa que aconteceu ao longo da minha vida é notar que a maioria dos pais, A MAIORIA, tem filhos não planejados. Tenho 28 anos e conheço poucos casais que dizem ter planejado o nascimento de seus filhos. Acredito que o planejamento é o melhor jeito de haver um nascimento, mas não acho que o "acidental" seja a pior coisa do mundo, muitas famílias levam numa boa. As dificuldades acontecem em ambos os casos.

Me formei na faculdade de Direito, e embora não exerça essa profissão, senti na pele o que é ser alvo de expectativas alheias. Não vou nem dizer tanto pelos meus pais, acredito que tenham me cobrado na medida e não dependam financeiramente de mim. Mas pelas pessoas de minha vida. Foi comum ser questionada o tempo todo o que eu faria ao terminar a faculdade, induzida a fazer concurso público (sim, em pleno 2016 tem pessoas que acham que essa é a única saída da sua vida), ser alvo de gozações e olhares tortos ao optar por outros caminhos diferentes da minha formação, etc.

Meu filho será piloto de avião (mesmo tendo medo de altura)

Daí que pude notar em como é alto o número de pais que querem se realizar através dos filhos. Conheço um rapaz que seu filho deve ter cerca de 5, 6 anos de idade e ele diz que o filho seguirá determinada profissão. Tempos depois descobri por terceiros que ele, o pai, que queria ter seguido essa profissão e não aproveitou a oportunidade que teve. Já fico com pena desse filho que tão cedo já carrega essa responsabilidade de suprir a frustração do pai. Imagina se a criança cresce e resolve seguir outro destino...

Isto pode causar diversos males através do tempo, afastando os filhos dos pais, ou fazendo-os crescer como adultos intolerantes e ultra conservadores. Quando nos é imposta uma ideia desde o nascimento, tendemos a crescer sem questiona-la, engoli-la sem mastigar. O simples fato de pensar diferente pode ser mal visto entre a família ou até mesmo pela própria pessoa, um mal bem grande pode acontecer. Não digo que seguir seus princípios e ter seus dogmas pessoais possa ser algo ruim, só é algo ruim quando feito no automático, sem questionamento, sem ver-se por outros ângulos. É prejudicial formar-se um humano sem opinião própria.

Conheço várias pessoas que dizem que seus filhos serão "bailarina", "militar", torcerão pra determinado time, estudarão línguas ou serão engenheiros... e me pergunto: e você? Será que desistiu de si mesmo? Por que você mesmo não estuda línguas? O que te fez esquecer de si? Conheço mães e pais que tem condições disto, de voltar a estudar, de mudar o rumo de sua vida, mas mesmo assim não o fazem. Isto se chama PREGUIÇA. Claro que há casos de pessoas que já não tem mesmo mais saúde, condições físicas, financeiras, mas, se há um espacinho pra diversão, pra um mal hábito, por que não há espaço pra fazer o que você diz sempre ter querido?

Não espere que seus filhos cresçam pra suprir suas expectativas, pois ele ficará adulto e terá sua casa, sua família, e você muitas vezes só poderá contar com você mesmx. Não crie filhos "pra ter quem cuidar de você" no futuro, isto é de um egoísmo tremendo. Viva o agora e lembre-se que nunca é tarde pra aprender.

Foto: Edestinos

7 comentários:

  1. Esse é um dos hábitos mais nocivos na criação de um filho... Eu não sou mãe, mas estou no papel de filha, e uma filha que teve um pouco de cobrança. Não quero depositar nos meus pais todas as minhas inseguranças, até porque eu sei que não é apenas culpa deles. Mas eu também sei que minha criação foi no mínimo uma parte do motivo dela. E, olha só, hoje eu tô aqui, com um diploma na mão, sem saber como usar, porque não tenho certeza se fiz o curso certo! Este texto é muuuito pertinente, obrigada por ele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tamires vivo a mesma situação, o negócio é nos conscientizarmos de que a vida está apenas começando, podemos traçar novos rumos, não estamos velhas pra estudar tudo de novo. Beijão, boa sorte!!

      Excluir
  2. Meu pai fez muito disso. Tentava me dizer qual profissão seguir, o que fazer da vida. E hj nem nos damos bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa Alessandra, que pena, mas quem sabe o futuro não mude as coisas? beijos!! obrigada pelo comentário

      Excluir
  3. É tão triste para os filhos não serem aceitos pelos pais... E é tão triste para os pais querer que os filhos sigam sonhos de outras pessoas... Acho que temos que nos aceitar e aceitar o próximo independente de quem seja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, embora eu entenda um pouco o lado deles também. Beijão!!

      Excluir
  4. Pesado hein! Isso acontece muito mais do que podemos imaginar!
    Meu pai sempre pensou que eu fosse pra área de vendas, marketing e tudo mais como ele e eu fui pro teatro. Mesmo ele me dando total apoio, sei que rola uma frustração e tem vezes que pego ele pensando como e quando ele me influenciou a ir pra está área.

    Meu pai aceitou e me apóia e outros que não? Post mais que útil!

    Abraços de luz

    ResponderExcluir

Mensagens mal educadas não serão aceitas *