terça-feira, 28 de junho de 2016

A solidão da Dona de Casa

Assim que fui morar com meu marido, nós não éramos casados "legalmente". Aqui onde moro, se você mora junto com seu namorado ou namorada, vocês já são considerados casados. Assim nós vivíamos. Foi uma fase difícil porque estávamos nos acostumando a viver um com o outro, mas superamos bem.

No início ele estava trabalhando numa empresa e passava o dia inteiro fora. Enquanto isto eu fazia várias coisas dentro de casa (arrumação, organização) mas também tinha momentos de lazer. Nesses momentos eu investia aqui no Blog porque "não trabalhar" nunca foi uma opção. Era inaceitável ver meu marido se esforçando pra colocar dinheiro dentro de casa enquanto eu estava inerte. Mas uma coisa é verdade: Há preconceito com donas de casa!

Hoje em dia se a mulher quiser a "escolha" de ser dona de casa algumas pessoas recriminarão. Duvido muito que uma jovem que declare à sua família a vontade de ser dona de casa receba "parabéns" pela escolha. A maioria dos pais não querem essa condição pra sua filha, ainda mais quando a mãe é dona de casa e vive infeliz. Também há aquelas situações onde a família não vive bem financeiramente, assim acaba vendo nas filhas uma salvação financeira. Isso é péssimo!

Acho que toda mulher tem liberdade de escolher ser quem quiser, trabalhar fora ou não. Acontece que a decisão de ser dona de casa não depende só da mulher e sim de outra pessoa que aceite tal condição. Meu marido aceitava o fato de eu ser dona de casa, mas eu não quis continuar assim. Hoje, trabalhando, me sinto melhor assim, porque a sensação de controle do dinheiro é impagável.

Sou contra manifestações que desaprovem a condição de dona de casa da mulher. Alguns grupos feministas insistem em inferiorizar a mulher "do lar". Não espere que feministas defendam seu direito de ser dona de casa, você já tem uma sociedade patriarcal defesa a isto, mas espere RESPEITO. Deve-se entender que a mulher que optou por ser dona de casa esta fazendo isto por vontade própria e as consequências desta escolha é problema dela. Na verdade, hoje em dia, é mais comum sermos obrigadas a trabalhar que ser dona de casa (esta é uma mudança ainda não percebida por certos grupos feministas). Respeitemos sempre estas mulheres do lar que, mal ou bem, são parte importante da nossa formação social.

Ser dona de casa não é ruim, exceto pela dependência econômica. Muitas vezes isto acaba nos isolando do mundo ou nos fazendo ter contato somente com as mesmas pessoas de sempre, família e vizinhos no máximo.

A solidão da mulher do lar só é percebida quando ela começa a trabalhar fora. Hoje em dia sou feliz por ser meio do lar/ meio profissional, já que trabalho metade em casa e metade na rua. Mas pra quem fica em casa sempre, falta a oportunidade de conviver com diferentes pessoas, diferentes realidades, fazer novos amigos, e quanto mais velha a gente fica mais difícil isso se torna.

Concluo dizendo que o respeito às donas de casa deve existir sempre, o entendimento que a realidade social mudou é necessário pra se entender isto, e que a dona de casa muitas vezes é uma mulher solitária que muito contribui pra você mas não recebe contribuição pra ela, principalmente a EMOCIONAL.

O cenário de solidão é muito forte quando a mulher só fica em casa, mora longe de familiares, não trabalha fora e depende do dinheiro do marido. Claro que muitos homens são tranquilos em relação a isto, mas alguns gostam de dominar a mulher somente porque ela depende dele financeiramente, esquecendo-se completamente que também há dependência por parte dele, que se ficar sozinho em casa não sabe fazer nada.

Enfim... respeite as donas de casa assim como outras escolhas pessoais, porque provavelmente você não tem nada com isto.

Beijos, Thainá.

4 comentários:

  1. Eu sou dona de casa hahaha Foi opção minha e do meu marido pq tomamos a decisão juntos. Sabe que nunca me senti solitária em casa? Mesmo antes de ser mãe eu não me sentia solitária e acredito pelo fato de me sentir bem na minha própria companhia . Gosto de me isolar um pouco e fica nos meus devaneios e falando comigo mesma. Mas confesso que a decisão de eu ter um blog veio pela necessidade de ocupar o tempo ocioso haha. Mas é um fato que ser dona de casa é visto algumas vezes com olhares de preconceito , e criticas por ser dependente do marido. Mas eu nunca me senti mal por ser dependente financeiramente do meu marido pq ele não me coloca em posição inferior pelo contrário, até me ajuda com as coisas de casa, e fim de semana a cozinha é com ele. Temos liberdade sim de escolhermos e podemos ser o que quisermos, pq a nossa felicidade a gente que faz. Adorei a sua colocação e desculpa o textão pq falo pra caraca! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lisa, pois é. Essa questão da dependência financeira é ruim mais quando o marido não colabora. Você sabe que apoio o movimento feminista mas nesse ponto parece que ele ainda não evoluiu pra entender que hoje em dia a maioria das mulheres que optam por ser dona de casa sofrem preconceito sim.
      Não precisa se desculpar pelo comentário, adoro quando as pessoas acabam se soltando mais por aqui. Beijos!!

      Excluir
  2. Adorei seu texto e realmente é o que acontece. Quando você é uma profissional fora de casa, é respeitada e as vezes, o trabalho do lar que é tao pesado e nunca acaba, não ha se quer, o minimo de valor.Não é pago, não é reconhecido..mas se tem algo fora do lugar, sujo, esquecido de fazer, é notado, criticado, aliás,por que diabos não está arrumado, limpo? ''Vc não faz nada o dia inteiro''. É o famoso serviço comparado a nada! Alias, parece que dona de casa não faz nada né? É muito triste, mas é verdade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As pessoas só notam o serviço da dona de casa quando ele não é feito, infelizmente :(

      Excluir

Mensagens mal educadas não serão aceitas *