quinta-feira, 16 de junho de 2016

Excesso de realidade

Estou escrevendo este texto e estou um pouco emocionada. Nada aconteceu de especial mas estou ouvindo Wind of Change - Scorpions e isso me lembra muito minha adolescência. Esta música não estava em alta na época (não sou tão "velha" assim rsrs) mas era o estilo de música que eu curtia uma "fossa". Não estou nem me referindo a "fossa" estilo dor de cotovelo, amor não correspondido, e sim a ficar viajando por horas olhando o teto do quarto.

Quando eu tinha meus 15, 16 anos de idade eu era muito sonhadora, era romântica mas não assumia, e eu "viajava" demais. Sonhava com uma vida perfeita, uma casa perfeita, estar sempre bela e bem arrumada, com muito dinheiro... enfim, sonhava demais. E nesta época eu ficava triste por isto, não era tão confiante nestes sonhos e achava que tinha que ser uma pessoa mais pé no chão. Dia destes, chorei pensando nisto, porque foi exatamente o que aconteceu.

Hoje em dia, com quase 29 anos eu consegui o que tanto queria, que é ser uma pessoa pé no chão, mas acho que as vezes sou pé no chão até demais. Fico muito triste por não ser a sonhadora que era, ter o coração cheio de sonhos batendo acelerado. Sempre que ouço esses clássicos dos anos 80/ 90 tenho me sentido assim, triste por ser uma pessoa com pouca capacidade de sonhar.

Quando eu fiz 26, 27 anos começou a bater em mim uma crise existencial e nem era aquela que tem assolado pessoas na minha idade (to chegando aos 30 sem ter nada). Nem é, porque sei que isso tem acontecido com muita gente. A crise começou a bater porque eu não queria parecer "velha". Ocorre que quando eu tinha uns 21, 22 anos de idade eu já não curtia mais sair pra boate, voltar pra casa virada, curtição ViDa LoKa e se alguém dissesse que eu estava com espírito de velho eu ria, até gostava, achava que isto me conferia algo especial (falou a diferentona).

No entanto, hoje em dia eu to me policiando pra não me importar com isto... rs. É duro ver pessoas na minha idade com filhos em idade que eram dos meus amigos a pouco tempo. É duro ser amiga de alguém que também pode ser facilmente amigo dos seus pais ... rs... Enfim... Dia destes chorei no ombro do meu amor por isso, por não ser mais aquela adolescente sonhadora assim e disse que uma pessoa sem sonhos não tem motivos pra viver. Simplesmente não quero me sentir assim.

Ultimamente tenho visto muitos filmes e seriados, coisa que eu estava a um bom tempo sem fazer. Acontece que esse excesso de realidade tem me feito um pouco mal. Vira e mexe tenho me sentido mal por pensar na vida como ela é, nas coisas que acontecem no mundo e na sensação de que isso só tem ocorrido pelo envolvimento político que as pessoas tem feito nas redes sociais. To tentando me afastar disto, e como não uso drogas, bora fugir da realidade de outras maneiras... se alguém tiver sugestões... beijos!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mensagens mal educadas não serão aceitas *