domingo, 6 de agosto de 2017

Vale a pena fazer EAD (Ensino à Distância)? Vantagens e desvantagens

Se você chegou aqui agora, deixa eu me apresentar. Me chamo Thainá, tenho 29 anos e estou cursando a faculdade de história na modalidade à distância, na Universidade Estácio de Sá. Sou formada em Direito desde 2012 mas trabalho na área de educação.

Quando terminei a faculdade de Direito eu não sabia ao certo o que fazer e não queria continuar atuando na área. Ano passado decidi fazer faculdade de História e comecei na modalidade presencial, ou seja, eu ia a aula todos os dias.

Entretanto, em fevereiro deste ano fui convocada num concurso que prestei em 2014 e teria que passar a faculdade pro turno da noite. Esta seria uma decisão difícil pois o local onde moro está perigoso e estudar a noite seria muito arriscado. Decidi fazer faculdade à distância.

Eu só tomei essa decisão porque como funcionária pública gozo de certa estabilidade e só pretendo abandonar meu emprego no dia que arrumar outro melhor, através de concurso público também. Ou seja, só decidi fazer EAD porque não teria que passar pela sofrência que é procurar emprego na área privada, onde ainda rola um certo preconceito com ensino à distância.

A Faculdade à Distância tem disso: rola preconceito! As pessoas pensam que não estudamos, mas como tenho experiência em faculdade presencial, posso afirmar com propriedade: Ensino à distância é coisa séria! Certas vezes sinto que estudo mais fazendo EAD do que nas aulas presenciais (minha graduação em Direito foi totalmente presencial). Logo, acabe com essa ideia de que faculdade a distância é mais fácil.

Vou listar primeiro as desvantagens do curso EAD e depois as vantagens, para que não as vantagens compensem as desvantagens... rs 🙂

  • Preconceito: o principal problema da faculdade EAD é que as pessoas te olham torto e ainda desdenham quando você diz que estuda à distância. Algumas empresas ainda têm resistência em aceitar funcionários que estudem na modalidade EAD, mas tenho fé que isto vá acabando com o tempo, cabe a nós estudantes EAD fazer a diferença e provar o contrário;
  • Network: O famoso Q.I. (quem indica). Por não termos muito contato com profissionais da área, fica difícil formarmos uma rede de amigos no meio profissional. Na faculdade presencial isto não acontece, o que acaba te facilitando conhecer pessoas que te indiquem para uma possível vaga de emprego, indicações de palestras, pesquisas, mestrado, etc.
  • Debate: Apesar de haver fóruns pra debate virtuais entre os alunos, a faculdade presencial aprimora teu senso crítico pela experiência de conviver com outros alunos. Eu saí da faculdade de Direito com uma retórica infinitamente melhor do que quando entrei, logo, o debate entre alunos e professores é melhor na faculdade presencial (embora exista na faculdade EAD);
  • Disciplina: O maior desafio da EAD é no início, pois você ainda não está acostumado a se programar pra estudar, logo, há uma luta interna muito grande pra evitar a procrastinação;
  • Distrações e familiares: Um grande problema de se estudar em casa são as outras pessoas atrapalhando. Você vai precisar conversar com sua família para que eles entendam que o momento dos estudos é sagrado. Pode cair um meteoro no meu quintal, não me chame por nada nesse mundo!!

Agora quais são as vantagens da faculdade à distância? 
  • Preço: Se você optar por uma faculdade particular, o preço é bem mais baixo no curso EAD. Para vocês terem uma noção, eu pagava cerca de R$370,00 por mês na faculdade presencial e na EAD estou pagando apenas R$156,00 - mais barato até que certos colégios de ensino fundamental;
  • Locomoção: Uma das coisas que mais desanimam na vida acadêmica é o transporte, ainda mais quando você mora num local longe de tudo, como eu. As vezes eu pegava 2 conduções pra ir e mais 2 pra voltar, o que torna o dia muito mais cansativo e estressante, além dos gastos com passagem;
  • Economia: Além da economia na mensalidade, como mencionei no primeiro tópico de vantagens, e economia na passagem/ combustível, você ainda tem acesso ao material todo online, ou seja, sem xerox pra sugar nosso contado dinheirinho. A faculdade à distância acaba se tornando muito mais econômica que a presencial, nem com lanche gastamos... rs;
  • Revisão de conteúdo: Como você tem acesso ao conteúdo das matérias por meio da internet, é possível revisar sempre que puder. Algumas faculdades EAD colocam o conteúdo disponível somente por um certo tempo (exemplo: 1 semana), mesmo assim você terá mais tempo de rever aquela aula do que numa faculdade presencial, onde faltou perde conteúdo;
  • Fazer seus horários: Você que escolhe o melhor momento pra estudar de acordo com sua rotina. Se você tem hábitos noturnos e funciona melhor na madrugada, EAD é perfeito pra caso queira estudar as 2h da manhã, por exemplo;
  • Imersão no conteúdo: Uma coisa muito importante que ocorre na faculdade à distância é a absorvição do conteúdo da disciplina. Quando eu frequentava aulas presenciais era possível notar exatamente o que um professor priorizava na aula e eu acabava me limitando àquilo. Eu sentia que esse era o assunto da prova e deixava algumas coisas de lado. Na EAD não tem disso: você estuda praticamente TUDO porque os professores não deixam muito claro quais conteúdos irão priorizar nas provas: Alunos EAD sempre estudam mais!!
  • Conforto e segurança: É óbvio que é muito mais seguro e confortável estudar dentro de sua casa do que indo para uma instituição de ensino - não tem dia de chuva, nem tiroteio, nada que te impeça de estudar;

Na faculdade à distância não existe a questão da "presença" como numa presencial, mas você deve assistir às aulas e ler o conteúdo sim pois o acesso a eles conta como uma espécie de "presença" onde você deve ter no mínimo 75% de acesso.

O EAD (pelo menos da Estácio) está se esforçando cada vez mais pra ficar similar a um ambiente presencial: há os fóruns para que possamos tirar dúvidas com os professores, há exercícios online, há a biblioteca online (muito boa por sinal, ótimos títulos)...

Enfim, se você é muito jovem, acabou de sair do colegial e quer ingressar numa faculdade, estude presencialmente. A experiência acadêmica presencial é muito importante nesse sentido. Mas se você já é uma pessoa mais velha como eu, estabilizada, que quer fazer faculdade pra melhorar seu currículo, melhorar seu salário, mudar de área ou simplesmente já tem experiência acadêmica, pode se jogar na EAD sem medo. Se você SÓ PODE fazer EAD, faça! É melhor do que não estudar e ver a vida passar se lamentando de não ter iniciado sua profissionalização.

Se gostou desses tópicos abordados, compartilhe com alguém que esteja com essa dúvida, talvez ajude. Beijinhos, Thainá.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

(Des)Caminhos do Blog

Graças a este blog aqui eu descobri a paixão pela leitura e pela escrita. Hoje, prestes a fazer 30 anos, estou muito feliz por ter me encontrado pessoalmente e profissionalmente. Agora posso conciliar um hobbie com uma profissão pois a Faculdade de História me proporciona a leitura (em carga bem pesada, admito) e ao mesmo tempo a escrita, consequência do desenvolver de meu senso crítico.

A verdade é que não sou mais a mesma: desde que comecei a escrever aqui, com apenas 25 aninhos, minha cabeça mudou tanto. A experiência de trabalho no exterior e também a experiência de trabalho no seio do mundo capitalista me fez mudar tanto o que eu acreditava. Eu acreditava que bastava esforço que as coisas magicamente aconteciam. Hoje eu SEI que isto não é mais suficiente.

Mas também não quero me acomodar no discurso anti meritocrático: quero usar esse espaço para que seja uma ajuda a quem precisa. Não estou somente falando dos posts de dicas, mas também de empoderamento através do trabalho.

Essas ideias fazem desse blog uma total mistura sem rumo, pois cada dia sinto vontade de escrever sobre algo diferente. Mas saibam: tudo tem um propósito, que é ser ÚTIL.

Beijinhos, Thainá.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Convivendo com uma criança especial

Quando eu comecei a trabalhar como Agente de Apoio à Educação Especial (AAEE) fiquei com muito medo pois sempre me vinham a mente aquelas crianças com paralisia cerebral cujas funções motoras e intelectuais são bastante limitadas e eu não tinha experiência nenhuma com portadores de necessidades especiais.

Eu estava trabalhando no consultório de uma amiga dentista e estava bem confortável, era um trabalho bem tranquilo que me dava tempo pra estudar, cuidar da casa, ou seja, ter uma vida social fora do ambiente de trabalho. Daí que meu nome saiu no D.O. e minha vida nunca mais foi a mesma. Eu tinha plena convicção que o trabalho na prefeitura iria ser muito mais difícil em relação a onde eu estava, já que eu estava bem empregada, e estava meio desanimada com a convocação.

Na posse do cargo conheci várias moças que também iriam trabalhar como AAEE e muitas já tinham experiência pedagógica, algumas eram professoras formadas e eu mal tinha entrado na faculdade de História. Estas pessoas viviam falando do quanto é maravilhoso trabalhar com crianças especiais e na minha mente eu só pensava: demagogia. Eu realmente acreditava que era um trabalho como outro qualquer e que aquelas moças falavam disso somente pra aparecer.

No 1º dia da semana de treinamento o prefeito foi nos receber no CMRJ na Tijuca e uma pessoa que já estava trabalhando como AAEE disse que o principal que devíamos levar nesta profissão era a paciência e o amor. Pensei: mais demagogia!! Todo mundo sabe que pra trabalhar com inclusão precisa-se de paciência, basta exercitar!! Mas e o amor?

Eu entrei no colégio onde estou atuando no momento e recebi uma lista com o nome das crianças integradas: eram 25 divididas entre o turno da manhã e da tarde. Bateu um desespero, um medo, mas eu simplesmente fui.

Cada criança especial tem suas peculiaridades, não dá pra julgar como se todas tivessem os mesmos hábitos. Além disto, cada uma é criada de uma maneira dentro de casa. Criança especial brinca como as outras, se alimenta, recebe amor da família e principalmente é repreendida como as outras. Nada de muito diferente das crianças sem deficiência.

Dia a dia fui me apegando a esses pequenos e cada um tem suas manias. Claro que, por passar mais tempo com umas em relação a outras, a gente acaba se apegando mais, e quanto mais a gente convive mais a gente esquece da deficiência.

Há um menino muito especial que tomo conta e sempre conto suas histórias pra minha família e amigos, as pessoas do meu convívio que nunca o viram parecem já conhecê-lo de infância. Daí outro dia me perguntaram: _Qual a deficiência dele? Vocês acreditam que demorei a responder? Sim gente, eu momentaneamente tinha esquecido... huahahaha. 

A verdade é que quanto mais convivemos mais esquecemos esses "problemas". As crianças especiais têm esse nome e não é a toa: elas são, de fato, especiais. Elas conseguem, mesmo com todas as limitações, levar uma vida quase igual a uma criança sem deficiências. Elas gostam de bola, de tirar fotos com o celular, aplicativos, fazem cara feia quando são repreendidas e riem das mesmas coisas.

Esses meses só tem me mostrado que as pessoas que falavam da Educação Inclusiva de forma romântica estão mais do que certas: É impossível você trabalhar e não se apaixonar. Cada dia que passa amo mais o meu trabalho 💗

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Estilo de Vida Minimalista

A um tempo atrás ouvi falar a palavra "minimalismo" e desde a época eu pressentia que seria algo a me agradar, mesmo sem saber exatamente do que se tratava. Depois que a Mandy Francesa do canal de mesmo nome começou a abordar este assunto eu tive certeza que nasci pra isto, hehe.

Fui uma jovem muito bagunceira quando morava na casa dos meus pais pois eu acreditava que "mais era mais", quando na verdade "mais é menos". Quando fiz 18 anos entrei na Faculdade de Direito e num dia de surto resolvi tacar um monte de coisas fora. Eram cadernos do colegial, brinquedos que a muito tempo não usava, besteiras que guardava como forma de lembrança sem a menor necessidade. Isso me ajudou me organizar pra faculdade e desde então passei a ser uma pessoa mais organizada.

Talvez você esteja lendo isto na esperança de se tornar alguém organizado e procurando soluções, mas a verdade que não passei por um processo, foi num dia de "surto" que me livrei de tudo de inútil e mantive assim até os dias de hoje. Sério, eu nem cheguei a pensar muito a respeito, simplesmente fiz.

Pra ser uma pessoa organizada você precisa desapegar de muitas coisas e entender que nem sempre organização = praticidade: você precisa facilitar as coisas pro seu dia a dia, não adianta criar esquemas que vão tomar seu tempo e paciência pois um dia cansará.

Após se livrar da tralha que não usa, crie rotinas de organização, como tentar acordar 30 minutos mais cedo pra arrumar a cama e lavar as louças antes de sair pra trabalhar (se você achar que vale a pena, é claro!). Não precisa ser exatamente isto que mencionei, sua casa e sua família que mostrarão o que de relevante precisa ser feito em primeiro plano.

O minimalismo consiste em manter somente o que precisamos mesmo. Uma casa cheia de coisas torna-se um ambiente menor e as chances de perdermos as coisas e não acharmos mais é altíssima. Torna-se um local que, por mais organizado que esteja, parece sempre bagunçado e sujo. Se livrar de certas coisas é um bem que você pode fazer a si mesmo e a quem convive contigo.

O trabalho de prevenção também é importante: evite comprar coisas pra "embelezar" a casa, coisas que você já tenha, principalmente as que você tem e não usa. Também evite coisas que não vão combinar com o que você já tem em casa, estes são alguns pilares do minimalismo.

Já assisti vídeos mostrando que em alguns locais da Europa nórdica (coincidentemente os países com melhor qualidade de vida) já se vivem assim. As pessoas desapegaram não somente de bens materiais mas também de redes sociais ou qualquer coisa que possa ser nociva a nossa mente. Este trabalho também é importante pro nosso interior pois somos o que vivemos, não o que temos.

Conheça um pouco mais do estilo de vida minimalista, você vai sentir como é bom viver assim, super vale a pena. Beijinhos, Thainá.

Se você gostou deste texto, curta nossa página no Facebook e acompanhe 💗⇩

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Final de Semana em Miguel Pereira - RJ/ Pousada Coração Verde

Este fim de semana eu iria viajar com meus pais, acordei cedo no sábado e meu pai decidiu não ir mais: inadmissível é acordar cedo nas férias e não fazer nada - cismei que tinha que ir para algum lugar huahaha.

A um tempo eu já queria ir em Miguel Pereira aqui no Rio por ser um destino turístico acessível financeiramente e próximo a onde moro. A cidade é pacata, bonitinha, simples, tem opções acessíveis e dá pra fazer um turismo leve, mas infelizmente é mais voltada pra quem vai de carro, já que seus pontos turísticos são um pouco distantes.

Demos sorte de estar rolando uma festa na cidade, a ExpoGaúcha, e assim tivemos algo diferente pra curtir, mas no geral ficamos mais curtindo a Pousada que nos hospedamos.

Pousada Coração Verde - Miguel Pereira, RJ é boa
Pousada Coração Verde - Miguel Pereira, RJ

A Pousada Coração Verde é uma delícia!! A princípio ficamos assustados com a rua que dá acesso a ela, pois é uma ruazinha péssima, cheia de buracos e muito íngreme (fomos de carro). Sério, a rua é péssima!! Mas é um trecho bem curto (menos de 1km) e pra quem vai a pé tem uma saída pela parte de baixo da pousada, não precisa subir aquela sofrência toda.

Os donos da pousada são extremamente gentis e carismáticos, eles se ofereceram pra nos buscar na rodoviária (caso fossemos de ônibus) e, se não pudessem nos buscar no momento em que chegássemos, têm um contato de um taxista que trabalha com eles que também usamos do serviço e nos foi muito gentil.

Pousada Coração Verde Miguel Pereira Rio de Janeiro
Vista da Piscina

A Pousada é linda, com uma vista incrível com muito verde, piscina, quartos simples mas confortáveis e tudo bem arrumadinho e higiênico. Nós ficamos na suíte "Azulão" e ela é espaçosa pois é para pessoas com deficiência. Não tem Wifi nos quartos mas no salão de área comum (onde realizamos nossas refeições) tem conexão de ótima qualidade disponível.

Foi-nos cobrado o valor de R$210,00 a diária no fim de semana, lembrando que estamos de férias escolares, logo, é considerado alta temporada. Talvez em dias durante a semana fora da alta temporada seja mais barato. Vale a pena ficar pesquisando em sites como o Booking ou Trip Advisor, que, alias, os premiou com selo de excelência (ponto pra pousada). A suíte de luxo com banheira e cama king era R$320,00 a diária. Os donos são muito gente boa, talvez conversando possam chegar a um acordo que seja razoável para ambos.


Caso você queira ir de ônibus há uma linha que sai da Rodoviária Novo Rio cuja passagem até Miguel Pereira custa cerca de R$33,00 (não sei ao certo). Da rodoviária até a pousada é perto mas para quem está com malas vale mais a pena pegar um táxi (em média R$12,00 a corrida).

Também há a opção de ir de trem até a estação de Japeri e lá pegar um ônibus para Miguel Pereira pois assim fica mais econômico: R$11,75 a passagem, também deixa na rodoviária.

O café da manhã é ótimo, só coisa gostosa e caseira, eu e o Eduardo fomos os primeiros a comer pois acordamos cedo e nos sentimos num palácio. As funcionárias da cozinha são atenciosas e capricharam demais!! Maravilhoso comer com uma vista incrível... manhã perfeita 💗

Pousada Coração Verde - Café da Manhã

Pousada Coração Verde - Café da Manhã

Enfim, espero que tenham gostado da resenha sobre a Pousada Coração Verde e espero voltar lá o mais breve possível!! Beijos, Thainá.

Curta nossa página no Facebook e acompanhe 💗⇩

domingo, 2 de julho de 2017

Apreciando coisas de antes

Este fim de semana eu fiz um passeio até Petrópolis, cidade aqui do Rio de Janeiro, e quanto mais velha a gente fica, mais começamos ver coisas que na juventude não vemos.
Eu já tinha ido à Petrópolis duas vezes antes (uma com 12 e uma com 15 anos de idade) e parece que só ontem eu conheci aquela cidade de verdade. Lembro que até quando me perguntavam se eu conhecia, eu dizia que já tinha ido mas não lembrava de nada: é verdade, eu não lembrava quase nada 😦

Acho que quando a gente é jovem temos outras prioridades (a maioria não são importantes) e passamos os momentos com a cabeça em outros. Mas isto não é uma exclusividade da juventude: também ocorre comigo muitas vezes de, ao invés de curtir o programa que estou fazendo, ficar pensando em compromissos, contas, problemas pra resolver 😞

Eu acho muito triste porque a vida passa e a gente se lamenta de não ter curtido aquele momento quando ocorreu... eu mesma já tinha feita uma postagem a uns anos atrás, no início do blog, dizendo que eu não estava curtindo minha vida, que só pensava na chegada, e não no caminho.

Eu tive uma experiência assim durante a faculdade de Direito, no ano de 2006 à 2012. Na época que estudei eu não curtia o aprendizado, não curtia direito as amizades, eu só pensava em me formar e acreditava que quando isto acontecesse minha vida estaria realizada. Hoje vejo e sinto que as coisas não devam ser assim, mas será que alguém aí pode me ensinar a colocar isso em prática?

As pessoas que não se preocupam tanto são mais felizes, tenho quase certeza disto, elas não envelhecem, não criam "rugas", tudo que é ouvido entra por um e sai pelo outro... muitas vezes sinto "inveja" disso... A nossa pressão por emprego, dinheiro, vida social abastada... é tão cansativo 🙁

Claro que curto certos momentos e me divirto também... mas tenho a sensação que é pouco... vocês também tem? Só sei que a chegada aos trinta está me fazendo apreciar coisas que antes eu não apreciava, como um momento em família ou um passeio pra perto. Só tenho a sensação que ainda é pouco... ou eu busco mais ou supero isto...

terça-feira, 27 de junho de 2017

Como se encontrar profissionalmente?

Na postagem anterior eu compartilhei sobre meu cargo de Agente de Apoio à Educação Especial (AAEE) na prefeitura do Rio, na Secretaria Municipal de Educação, e quis aproveitar pra falar de um assunto tenso, principalmente pra quem acabou de terminar o ensino médio e pensa em cursar uma faculdade.

Essa determinação e garra que hoje sinto orgulho em dizer que tenho nem sempre foram assim. Durante quase toda minha vida eu me via correndo em círculos, sem saber o que fazer, sempre pendendo entre o "que dá dinheiro" e o que gosto de verdade. É algo clichê, mas que eu queria poder mudar para todos que conheço. Eu sempre pulava de emprego em emprego, pensava nas ideias mais estapafúrdias pra ver dinheiro entrar... e nunca estava feliz.

Quando finalmente eu percebi meu lugar no mundo tudo mudou. O que me fez desenvolver um verdadeiro amor pelo conhecimento e pelos estudos foi criar consciência política, entender nossa economia e nossa sociedade, enfim, estudar política.

Sei que para muitos é um assunto chato, mas estude política, não se limite a assistir os acontecimentos na TV. Quando nos conscientizamos sobre nosso lugar no mundo, entendemos um pouco de filosofia e sociologia, fica mais fácil enxergar a relevância de cada profissão. Ao entendermos o que um profissional faz, sua contribuição para um mundo melhor, e principalmente, o que a ausência desse profissional acarreta, entendemos seu valor. Desse modo, conseguimos pensar se temos paixão ou não por alguma carreira.

Tá, mas como se encontrar profissionalmente?

O primeiro passo eu mencionei acima, entendendo um pouco de filosofia e sociologia, sistemas políticos e econômicos, e também assumindo uma postura política, seja ela qual for.

Após este conhecimento tudo fica mais claro, você passa a querer contribuir para uma sociedade melhor, porque trabalho é isso: querer fazer a diferença, sempre ser melhor que seus antecessores na área que você gosta.

Qual profissão seguir
Conheça seu jeito de estudar, isso ajuda muito. Eu faço resumos!

Entenda uma coisa: provavelmente, MUITO PROVAVELMENTE, você vai começar a trabalhar em algo que não é exatamente o que você queria. Se uma pessoa deseja ser astronauta na NASA, provavelmente ela vai começar em cursinhos básicos de ciências exatas para entrar na aeronáutica, num cargo de praça. Isso não é nenhum problema, é assim que se ascende profissionalmente. Nada te impede também de desenvolver amor por essa profissão "escada", todas tem o seu valor.

Se você conseguir identificar uma profissão mais acessível que esteja ligada ao seu grande sonho: SE JOGUE! Nunca tive o sonho de ser professora de História, mas é a profissão mais acessível no momento, dentro do que gosto de estudar. Então, bora lá ser professora!! Uma coisa que ocorre demais na jornada profissional é conhecermos cargos que nem sonhávamos que existia, você só vai conhecer quando estiver estudando.

E não se limite à "faculdade". Cursos técnicos são uma ótima opção porque são mais curtos e te colocam no mercado de trabalho com mais facilidade. O ideal é o técnico atrelado a mais especializações e até uma faculdade, por que não? Acredite, sempre tem coisa nova pra se estudar e se você fizer o que gosta, nunca será um sacrifício. Estudar é um investimento que sempre vale a pena.

Eu não sou a aluna perfeita nem a profissional exemplar. Tem dias que não estou afim de estudar nem de sair de casa pra trabalhar, isso é normal, mas hoje eu posso dizer que AMO o que faço 💖 Se todos tivessem a oportunidade de viver isto, o mundo seria um lugar bem melhor.

Se você gostou deste texto, curta nossa página no Facebook e acompanhe 💗⇩

domingo, 18 de junho de 2017

Profissão: Agente de Apoio à Educação Especial

Tem tempo que não passo por aqui, se você acompanha este Blog já deve ter notado.

Deixa eu contar pra vocês... Como alguns aqui sabem, sou formada em Direito mas não trabalho na área. Eu tive uma graduação mediana e não consegui me encontrar na profissão pois na época eu não tinha a cabeça que tenho hoje, logo, não entendia muito bem o papel social do advogado (hoje eu entendo, mas é assunto pra outra postagem).

Ano passado decidi começar uma nova graduação: História ⏳. Contei nesta postagem aqui. Sei que muitos tem preconceito com licenciaturas mas não estou nem aí: sou apaixonada por História e amando o curso.

No tempo em que estive desempregada entre o fim da primeira faculdade (2012) e o início da segunda (2016) comecei a vender doces e muitos que acompanham o Blog chegaram aqui por esse motivo, pelos vídeos de receitas pra vendas e também os motivacionais.

Eu adorava vender doces mas também é um serviço puxado pois não há uma renda fixa, há dias maravilhosos, mas há muitos dias difíceis.

Durante o tempo desempregada ou pulando de um emprego a outro eu fiz um concurso pra prefeitura do Rio, pra trabalhar na área de Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação. O concurso rolou em 2014 e a prefeitura da época ficou se amarrando pra chamar os aprovados.

A Defensoria Pública entrou com ação obrigando o prefeito Eduardo Paes a chamar, pelo menos, os 150 primeiros colocados e como eu não estava entre eles pensei: "Ah, se convocaram por pressão judicial, não vão chamar mais ninguém". Ainda bem que me enganei...

Dia 10 de fevereiro, aproximadamente 21h, minha mãe me liga empolgada e emocionada: Meu nome tinha saído no Diário Oficial 😃😃😃 Como eu já não esperava mais nada deste concurso, eu não acompanhava mais as notícias, mas minha mãe não, ela sempre acompanhava por também ser funcionária da SME.

Fiquei MUITO feliz, finalmente iria ter um emprego fixo e seguro, mas estava com medo pois estava trabalhando num consultório de uma dentista muito querida, que, apesar do salário baixo, era uma função muito tranquila e confortável. Além disto, eu iria trabalhar com crianças deficientes e isso me dava um medo... Quem aqui acompanha sabe: fui Au pair no passado e não fui tão bem sucedida no trabalho com crianças. Mas eu fui, com a cara e a coragem...

Ontem fez 3 meses que comecei a trabalhar como Agente de Apoio à Educação Especial e quer saber? Estou MUITO FELIZ!!! Sempre ouvia as pessoas falando que quem trabalha com Educação Especial se apaixona e eu achava que era demagogia, mas hoje entendo porquê: é realmente apaixonante.

Educação Inclusiva


Cada dia que passa sinto mais orgulho da minha profissão e mais amor pelas minhas crianças (olha ela, já está até chamando de "minhas" hahaha). Elas são carinhosas, risonhas, cada uma tem uma história pra contar e eu amo todas sem distinção.

Claro que como todo trabalho, tem seus dias difíceis mas quando eu trabalhava em escritório, por exemplo, só tinha história triste pra contar; hoje chego em casa rindo sozinha, só com boas coisas pra contar 💝

Isto tem me ajudado também na faculdade, já que hoje estou vivenciando o que é a área da educação. Fazer História tem se mostrado o caminho mais acertado que tomei. A única coisa ruim é que estou sem tempo pra me dedicar aos vídeos do canal e a venda de doces (até porque pobre "nóis" continua). Mas agora que minhas provas da faculdade acabaram vou tentar arrumar um caminho pra voltar a fazer meus doces que amo e os vídeos também.

Enfim... é isso. Beijos, Thainá!!

domingo, 5 de março de 2017

Faça e Venda: Torta Salgada de Queijo e Presunto

Esta receita de Torta Salgada de Queijo e Presunto é muito fácil e prática. Ingredientes econômicos, variedade de recheios a gosto... enfim... uma torta salgada bem fácil pra fazer pro lanche mas também pra vender.


A Torta Salgada de Queijo e Presunto pode ser vendida por uma média de R$5,50 a R$7,00 e fazendo em marmitinhas de 250g (como a do vídeo) rende cerca de 10, 11 unidades.

Receita: Bolo Salgado de Queijo e Presunto

No vídeo coloquei pouco recheio, mas você pode colocar mais. No entanto, coloque menos massa, pra não crescer a ponto de você não conseguir fechar a embalagem.

Ingredientes:
  • 2 ovos inteiros
  • 2 copos (200ml) de leite integral
  • 400g de Farinha de Trigo
  • 1 pacote de Queijo ralado (50g)
  • 100ml de óleo de soja
  • 2 col. de sopa de fermento para bolos

Modo de preparo:
  • Numa vasilha coloque o leite, o óleo, os ovos e o queijo ralado;
  • Misture;
  • Adicione à mistura a farinha de trigo, sempre aos poucos e peneirando pra não empelotar;
  • Você também pode usar uma batedeira neste processo, mas não há necessidade;
  • O ponto é quando a massa está um pouco grossa e com aparência de cola (só aparência);
  • Coloque numa travessa untada com manteiga metade da massa;
  • Coloque o recheio de sua preferência;
  • Cubra com mais massa;
  • Se fizer em forminhas de alumínio pra vender (como as do vídeo), não precisa untar;
  • Levar ao forno já pré-aquecido, por cerca de 30 minutos (ou até dourar), à 205°

Assista o passo a passo em vídeo:


Se você gostou do vídeo, inscreva-se no nosso canal!!

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Faça e Venda: Bolo no Pote

Se você procura um meio de ganhar uma renda extra vendendo doces e/ou salgados, confira aqui no Blog Detalhes uma série de dicas pra te ajudar nisso. É Gratuito!! rs.

Temos a série Vida de Doceira com diversos vídeos contando minha experiência na venda de doces e também compartilhando receitas bem práticas e econômicas. Confira abaixo uma receita clássica de BOLO NO POTE, em que é usada uma massa básica para combinar com diversos tipos de recheios (brigadeiro, beijinho de coco, morango, maracujá, etc).

Posteriormente irei ensinar alguns recheios gostosos, mas hoje vamos aprender a massa e como usá-la na montagem dos bolinhos.

Ingredientes:
*Massa:
- 4 col. de sopa de margarina
- 2 xíc. de açúcar
- 3 ovos inteiros
- 1 1/2 xíc. de leite integral
- 3 xíc. de farinha de trigo
- 1 col. de sopa de fermento para bolos

*Recheio a gosto

*Embalagens para bolo no pote tamanho 250ml
*200ml de Água com açúcar (1 col. de sopa) para molhar a massa
*Confeitos a gosto

Modo de preparo:
* Colocar num recipiente adequado a margarina e o açúcar;
* Misturar até ficar bem branquinho e uniforme
* Acrescentar os ovos e misturar novamente;
* Adicionar o leite e a farinha, preferencialmente peneirando esta ultima;
* Misture até ficar homogêneo e sem grumos;
* Por último, adicione o fermento e leve a mistura a uma fôrma já untada e enfarinhada

*Uso fôrma redonda de cerca de 25cm
*Rendem cerca de 11 bolos

Confira abaixo no vídeo o passo a passo e a forma de montar:


Se você gostou desta receita, INSCREVA-SE no nosso canal para receber novidades

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

4 anos de Blog!

Primeiramente, Feliz 2017!
Segundamente, Fora Temer... hehe 

Brincadeiras a parte, dia 8 deste mês fez 04 anos que comecei a registrar meus momentos pessoais e coisas que acho relevante neste cantinho aqui conhecido como Blog Detalhes. Fico muito feliz de ter um espaço pra guardar minhas memórias e também organizar coisinhas que acho importante outras pessoas tomarem conhecimento.

Já passei por diversas fases aqui, em algumas me expus demais, em outras simplesmente sumi por falta de tempo pra postar. Mas saibam que quem acompanha este blog tem um lugarzinho especial no meu ♡

Já estive solteira, namorando, namorando a distância, morando juntinhos e agora casada. Já estive morena, de franja, e agora ruiva... já fui uma recém formada, empregada, desempregada, informal, e agora novamente estudante... e em todos esses momentos esse blog foi minha válvula de escape pois eu amo escrever. Já participei de diversas redes sociais e hoje noto que tenho somente o que é necessário. Sigam a Fanpage, o Instagram e o Canal!!

Mas caso eu suma daqui não se assustem. Estou numa nova fase de minha vida. Sempre que puder trarei conteúdo legal pra vocês como receitas, DIY's, textos reflexivos sobre casamento, Vídeos da série Vida de Doceira, vida doméstica, etc. Sendo que estou numa vibe mais acadêmica, estou descobrindo novas paixões nos estudos e tenho registrado tudo no blog Via Esquerda. Se você curte política, História, reflexões sociais e literatura, acesse!!

Fiquem na paz e tenham um ótimo 2017!